Temos visto o grande desenvolvimento do mercado de startups no Brasil, bem como os investimentos e eventos para o setor, porém ainda existe um déficit na formação de profissionais para atuarem e darem continuidade a esse crescimento.

A Gama Academy, escola de transformação tecnológica, lançada em abril e que oferece programas educacionais para profissões do futuro com capacitação nas áreas de programação, design, marketing e vendas, monitorou durante os meses de maio e junho as ofertas de trabalho em startups brasileiras.

Em entrevista ao Startupi, Guilherme Junqueira, CEO da Gama Academy, contou que a pesquisa surgiu por uma demanda interna pois, como estão formando talentos para trabalhar nas startups, precisavam saber quais eram os Estados em que poderiam oferecer os cursos e em quais áreas iriam ter mais ofertas do programa.

Guilherme conta que a pesquisa foi realizada em parceria com os próprios alunos do curso. Eles realizaram um filtro com a base da ABStartups, Associação Brasileira de Startups e selecionaram aquelas que já tinham sido investidas e que estavam com vagas em aberto.

149 startups participaram da pesquisa e ao todo oferecem 1016 vagas em aberto. Em sua maioria as vagas são para desenvolvedores web com 46.26% e Vendas e Costumer Sucess com 24.41%. Em seguida aparecem as oportunidades para Digital Marketing e Growth Hacking com 11.12% e Design, Produto e UX com 8.66%.

emprego

“Esse número é ótimo, pois conseguimos ver que em uma mostra super pequena, estamos falando de menos de 10% da base total de startups do Brasil, que hoje conta com mais de 4 mil, já conseguimos ver que inerente a crise, as startups continuam crescendo a todo vapor. Se conseguirmos mapear cada vez mais as startups, esse número será cada vez maior”, destaca Guilherme.

A maior parte das vagas em aberto estão São Paulo, com 409. O maior número de oportunidades estão na Viva Real, 99 taxis e na Loggi. Belo Horizonte conta com 87 oportunidades em sua maioria na Sympla, Rock Content e App Prova. Já Florianópolis e região conta com 71 vagas, em sua maioria nas empresas Resultados Digitais, Chaordic e Conta Azul, esta última sediada em Joinville. Curitiba tem 36 vagas, a maioria na Contabilizei, Ebanx e Olist.

Mas porque algumas vagas não são preenchidas? Segundo Guilherme, existem vagas que ficam de três a quatro meses em aberto por falta de mão de obra qualificada para trabalhar no mercado digital. “Durante o mapeamento, constatamos que boa parte dessas oportunidades não são ocupadas porque os universitários ou profissionais que atuam no mercado tradicional desconhecem totalmente essas novas opções de carreira. Por isso, além de formar profissionais com os conhecimentos técnicos necessários, também desenvolvemos um mindset empreendedor e soft skills avançadas em nossos alunos, o que potencializa a chance de adaptação com a cultura das empresas de tecnologia”, acrescenta. Guilherme conta que irão continuar com as pesquisas e que já estão mapeando novamente as startups para trazer novos resultados para o mercado.

Para este mês, Guilherme pretende lançar o O GAMA BOOTCAMP em São Paulo, que funciona como um processo seletivo de trainees para trabalhar em startups. Para mais informações clique aqui.