Por Marcilio Riegert

Se olharmos as últimas disrupções em diversos setores, praticamente todas vieram de startups. E isto se deve ao fato de que os processos das grandes empresas são pesados e onerosos demais para estimular a inovação ágil, como a das startups. Não que seja impossível, mas a engrenagem é diferente. É por esta razão que as startups estão fascinando cada vez mais os presidentes das maiores empresas do mundo.

Por isso vejo, por estar imerso até o pescoço nesse ecossistema, que um dos maiores sintomas desse movimento é a busca por talentos e soluções que podem trazer um novo DNA para a empresa, principalmente em modelos de negócios inovadores e eficiência. As grandes empresas já entenderam a importância do modelo leve e ágil das startups, que faz com que elas cresçam rápido e consigam colocar em prática, projetos para rodar em semanas, que em uma empresa maior demoraria anos. É o que chamamos de redução do time-to-market de inovações e em momentos de crise não há formato melhor para trazê-lo às empresas.

Então, nada melhor do que fazer uma lista dos fatores que você empresário deve colocar na balança na hora de se aproximar de startups. Pensei em 4 razões para te facilitar.

Calma, elas não mordem, mas podem fazer uma bela revolução em suas operações!

Vamos a elas:

1 – Você terá contato com um perfil diferente de profissional – empreendedor

Pode ser paixão – ou choque – à primeira vista. O dono de uma startup conhece e tem contato com problemas que vão muito além da vã filosofia de boteco de um empregado comum de empresa. Um empreendedor pode ter um negócio bem menor em dinheiro do que o seu mas, para crescer, ele tem de lidar com situações que ultrapassam, em grande parte, suas habilidades técnicas, o que o tornam um profissional com a mente mais aberta a encarar e superar os desafios.

2 – Você verá uma capacidade de escalar (crescer) sem aumentar os custos – sobrevivência

Está no DNA de qualquer startup. Cortar custos e aumentar produtividade, diminuir gastos e melhorar a eficiência. Isso traz um senso de responsabilidade com o budget da sua empresa que talvez cause espanto, para o bem, é claro. É o que levaremos com a Ilha da Inovação na Mec Show daqui a algumas semanas a empresários do setor industrial capixaba. Além disso, corre nas veias delas a necessidade de expandir. Por isso, amigo, se prepare para receber e-mails nos horários mais incomuns e uma “inexplicável” predisposição a alinhamentos e entregas sem pausas para um café ou fim de semana. Uma startup quer fazer acontecer, essa é a graça para o empreendedor, captou?

3 – Proximidade com seu problema + autonomia = maior rapidez de execução

Esteja ciente, se trata de um investimento de risco. A taxa de falha é muito mais alta do que a taxa de sucesso. Startups em geral ainda não possuem produtos robustos e processos redondos. Os KPIs devem ser muito relacionados a crescimento do que lucratividade. Para chegar a esse sucesso, dar autonomia é fundamental. Se quiser exercer uma governança sobre os rumos da startup, ou então colocar regras em demasia, você minará a capacidade de execução e motivação dos empreendedores, e indo totalmente contra a motivação inicial de acelerar o time-to-market. Em terceiro lugar, é necessário entender que o relacionamento mais proveitoso virá a longo prazo, e que ações pontuais com startups não serão meras iniciativas de branding.

4 – Pode incentivar? Então a validação chegará mais rápido – e o retorno também

Certamente o apoio financeiro ajuda, mas o acesso a mercado e o contato com executivos da sua empresa é o maior ativo que você pode oferecer a uma startup. Por exemplo, com nossa iniciativa tocada no Vale do Silício com a SYU Ventures, estamos internacionalizando diversas startups brasileiras, ajudando-as a captarem recursos do exterior e ampliarem agressivamente seu networking para aplicarem no desenvolvimento delas aqui.

Em suma, se por um lado empreendedores são mais rápidos em desenvolvimento de produto, você possui ativos comerciais extremamente valiosos, que demandariam um esforço imenso para a startup alcançar. A sua capilaridade é, certamente, o grande prêmio que uma startup pode usufruir.

Está vendo? Existem mais moedas de troca entre sua corporação e uma startup do que imaginava.

Vamos trabalhar juntos pela inovação?


Marcílio é filósofo pela Universidade Federal do Espírito Santo e pós-graduado em História Política. CEO e fundador da aceleradora global de startups B2B Start You Up, membro do Comitê Temático de Inserção Competitiva, Ciência, Tecnologia & Inovação do ES em Ação, Conselheiro da Startify, o braço educacional da Start You Up e Coordenador da Câmara Tecnologia e Inovação do IBEF,  Instituto Brasileiro de Executivos e Finanças.