* Por Ofli Guimarães

Quando uma empresa para de ser chamada de Startup? Esse é um tema polêmico e existem respostas diferentes para essa pergunta. Para o empreendedor e autor do livro “Startup: Manual do Empreendedor”, Steve Blank, uma Startup é uma empresa formada para desenvolver um modelo de negócios escalável e que possa ser repetido. Ou seja, ele considera como Startup apenas as empresas em estágio inicial. Sem entrar nesta polêmica sobre a definição do termo Startup, uma coisa é fato: as empresas surgem pequenas e crescem ou morrem.

As empresas que conseguem crescer passam por novos e diferentes obstáculos em cada estágio e tamanho. Nos seus 5 anos de existência, a empresa mineira Méliuz, que devolve em dinheiro parte do valor gasto em compras online, passou por alguns desafios que podem servir de exemplo para as diferentes etapas na vida de uma empresa de sucesso.

Estágio Inicial / Validação

Os desafios de uma empresa em estágio inicial são provar que seu modelo de negócio é viável e que existe mercado.

Quando o Méliuz surgiu, em 2011, o site era um comparador de preços e oferecia cashback (dinheiro de volta). Porém, os usuários, mais interessados em receber parte do valor gasto em compras online, acabavam não usando o comparador. Com isso, a ferramenta foi retirada do ar e a empresa focou 100% no cashback. Só em 2011, a startup vendeu R$ 120 mil para as lojas parceiras. 2012 foi um ano de muito aprendizado e o modelo de negócios evoluiu mais um pouco e os cupons de desconto foram incluídos no site. Assim, além do cashback, a empresa passou a oferecer também os cupons. Em 2012, vendeu R$ 720 mil para as lojas parceiras.

O estágio inicial é decisivo para a maioria das empresas. Segundo o Sebrae, 60% das empresas fecham antes de completar seu segundo ano.

Time / Cultura

Em 2013, com o modelo validado, o desafio era outro: montar um time ideal, alinhado com a cultura da empresa. O Méliuz começou então a buscar no mercado os profissionais que melhor se encaixavam na cultura da empresa e aperfeiçou o produto para conseguir crescer. Com pequenos investimentos em marketing e melhorias no processo, a empresa vendeu R$ 30 milhões em 2013 e R$ 162 milhões em 2014, o que representou um crescimento de 225 vezes em 2 anos.

Crescimento / Escala

Em 2015, o desafio foi outro – a empresa precisava encontrar os melhores meios para escalar, sem perder a qualidade do serviço, atendimento e cultura. O Méliuz conseguiu automatizar alguns de seus processos que ainda dependiam de pessoas, trouxe mais profissionais diferenciados para o time e recebeu aporte de investidores reconhecidos em todo o mundo, entre eles o francês Fabrice Grinda, fundador da OLX e investidor de outras empresas de sucesso como Uber e Alibaba, e o brasileiro Julio Vasconcellos, fundador do Peixe Urbano. Em 2015, a startup vendeu para as lojas parceiras R$ 320 Milhões e espera vender R$ 1 Bilhão em 2016.

“Velha Economia” X Startups

À medida que uma empresa avança pelas etapas de crescimento ela corre o risco de perder qualidade e cultura. Muitas empresas tradicionais, que surgiram na velha economia, perderam isso ao longo dos anos e hoje sofrem com a concorrência das novas companhias que surgiram como Startups e estão crescendo mais rápido, leves e enxutas.

Todas as etapas de crescimento de uma startup são marcadas por desafios que são fundamentais para o fortalecimento e contribuem para a estabilidade da empresa. É importante se preparar para o que está por vir para que um obstáculo não se torne intransponível. Para isso, aprender com a experiência do outro ajuda a encontrar o caminho ou falhar mais rápido, Conversar com pessoas que já fizeram antes – e fizeram bem feito – pode fazer total diferença.


Ofli_Meliuz Ofli Guimarães é fundador do Méliuz e Empreendedor Endeavor. Começou a empreender aos 17 anos e o Méliuz, startup que devolve em dinheiro parte do valor gasto em compras, foi a 10ª empresa que criou.