Um mundo vasto e largamente inexplorado está sendo aberto por amadores que pilotam submarinos robóticos capazes de viajar centenas de pés abaixo da superfície de lagos, rios e oceanos. As informações são do The New York Times.

Eles se denominam como “cientistas cidadãos” e são dois jovens engenheiros: Eric Stackpole e David Lang, que criaram a OpenROV, uma pequena startup que constrói kits com drones submarinos, com sede em Berkeley, na Califórnia. Eles esperam recriar na água a mania atual por drones voadores.

Este mês, os pesquisadores da OpenROV alugaram uma casa de férias e a transformaram em um centro de comando para o mergulho inaugural de um protótipo da próxima versão de seu submarino Trident. O drone subaquático explorou os destroços do Tahoe, um navio afundado no século passado, que agora está a menos de meia milha da costa, em profundidades de até quase 500 pés abaixo da superfície do Lago Tahoe, que divide Califórnia e Nevada.

A OpenROV já vendeu mais de 3 mil unidades de seu submarino de primeira geração, que é capaz de navegar abaixo da superfície, ligado por um cabo fino e controlado por software rodando em um tablet ou smartphone. O novo Trident, que estará à venda em breve por US$ 1.499, irá viajar a velocidades de quase quatro nós debaixo d’água e terá uma câmera de alta resolução e um sistema de iluminação tão brilhante como faróis do carro. Ele vai operar a partir de uma boia de conexão sem fio.

Agora, a equipe de amadores espera que possa democratizar a ciência e aventura de explorar debaixo d’água, que tem sido anteriormente acessível apenas para alguém com os recursos de Robert Ballard, o oceanógrafo e explorador que investigou navios como o Titanic e o Bismarck, um navio de guerra alemão afundado nas fases iniciais da Segunda Guerra Mundial.

O objetivo dos exploradores é ter “muito mais olhos no oceano”, disse Lang, que trabalhava para outra startup antes de cofundar a OpenROV em 2012, com uma campanha Kickstarter.

Os fundadores da startup agora administram um site sem fins lucrativos, o OpenExplorer, para incentivar a sua comunidade de exploradores de drones submarinos a compartilhar os resultados de suas aventuras. “Na verdade, estamos legitimamente construindo a maior plataforma de observação oceano do mundo com pouco dinheiro”, disse Lang.