Em 2015, Santa Catarina foi o estado do Brasil que mais gerou empregos na área de TI, com um crescimento de 3,6% no número de colaboradores. Esses números vão na contramão do panorama econômico: no mesmo ano, SC teve uma queda de 2,88% no número de empregos, considerando todos os setores da economia. Florianópolis apresentou o melhor resultado entre os polos do país, com expansão de 6,9%, seguido por Blumenau, que cresceu 3,04% no período. Esses números foram extraídos do estudo inédito ACATE Tech Report 2015, desenvolvido pela Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE) em parceria com a Neoway.

E foi em Florianópolis que o Startupi desembarcou na última sexta-feira (17) a convite da Senior, uma das maiores desenvolvedoras de software do Brasil. Fundada em 1988 em Blumenau (SC), a empresa possui 6 filiais: São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Pernambuco. Conta também com cerca de 100 canais de distribuição em todo o Brasil, totalizando 3 mil pessoas envolvidas – entre colaboradores, parceiros comerciais e canais de distribuição.

Em Florianópolis fomos conhecer o Centro de Inovação ACATE | CIA – Primavera, empreendimento com mais de 6.000m², que é referência como ambiente inovador no estado de Santa Catarina. Durante a visita, o secretário executivo da ACATE, Gabriel Santos, nos recebeu e dividiu conosco alguns dados: Com faturamento estimado de R$ 11,4 bilhões, o setor tecnológico de Santa Catarina já corresponde a aproximadamente 5% do Produto Interno Bruto (PIB) do estado. São 2,9 mil empresas de TI, com cerca de com 5,3 mil sócios empreendedores e mais de 47 mil funcionários.

Foto: Divulgação

Gabriel Santos, secretário executivo da ACATE – Foto: Divulgação

“Um diferencial de Santa Catarina é que o setor de tecnologia é formado por empreendedores locais. Ele não se desenvolveu em função de empresas de outras regiões ou grandes multinacionais que vieram para cá. E mesmo num cenário de crise, nossos principais polos cresceram”, afirma Gabriel.

Dentro do Centro de Inovação ACATE, fica o programa INOVE Senior, programa de aceleração corporativo de startups da desenvolvedora de software. O objetivo é explorar o potencial de inovação vinculado a startups e jovens empreendedores com a capacidade da Senior em gerar negócios.

Centro de Inovação ACATE - Foto: Divulgação

Centro de Inovação ACATE – Foto: Divulgação

Foto Divulgação

Espaço INOVE Senior – Foto: Divulgação

Apesar de já ser difundido no exterior, com exemplos emblemáticos como Samsung Accelerator e Microsoft Accelerators, o conceito de aceleradora corporativa ainda é recente no Brasil, mas trata-se de uma oportunidade singular para as empresas nascentes que buscam não só apoio financeiro, mas também crescimento orgânico.

Por que a Senior resolveu criar uma programa de aceleração?

A Senior começou a pensar em novos negócios e percebeu que com recursos próprios não conseguiria atender todas as demandas que o mercado que ela está inserida está buscando. Primeiramente ela seguiu a linha de aquisições, fazendo o crescimento através de novas empresas e depois surgiu a ideia de atrair startups, tanto para apoiar no crescimento da empresa como inovar através delas.

“Fazer um novo produto fora da Senior, com uma startup que conta com outro processo, metodologia e consegue validar ou falhar rápido, é outra abordagem e nós entendemos isso”, afirma Cacio Packer, Gerente de Inovação da Senior.

Cacio Packer, Gerente de Inovação da Senior - Foto: Divulgação

Cacio Packer, Gerente de Inovação da Senior – Foto: Divulgação

Foi assim que em 2013 surgiu o INOVE Senior, idealizado pela Senior e realizado em parceria com a Acceleri, uma consultoria e assessoria especializada para concepção, construção e gestão de ecossistemas de inovação e geração de novos negócios baseados na parceria entre novos empreendedores e empresas maduras.

“Além de apoiar financeiramente, a corporação empreende com a startup. Nosso trabalho foi fazer com que dois mundos distintos se unissem alinhando os interesses que ambos tem em comum”, afirma Alexandre Prado, CEO da Acceleri.

Seleção das startups

A seleção de ideias acontece em três etapas:

Na 1ª etapa são filtradas 50 ideias/startups mais inovadoras, com maior potencial de escalabilidade mercadológica, assim como o perfil dos empreendedores.

Na 2ª etapa é feita uma entrevista para entender a originalidade das ideias e o perfil dos empreendedores. Nesse momento, 20 ideias/startups são selecionadas e recebem uma capacitação presencial para preparação do pitch.

A 3ª e última etapa é o dia do pitch. Neste dia, os 20 finalistas têm 20 minutos para apresentação de suas ideias e modelos de negócios. São selecionadas até 10 startups para o processo de aceleração de até 9 meses.

O que eles buscam?

A Senior está em busca de startup  B2B (transações entre duas empresas) e B2B2C (modelo combinado com transações entre duas empresas e da empresa com consumidor final),  que explorem mobilidade, cloud computing, colaboração, Big Data e Internet das Coisas. Também é importante o pensamento global, mesmo iniciando a atuação local.

Benefícios para os participantes

Capital Semente – Durante a aceleração, cada uma das startups receberão um aporte de R$4 mil por 10 meses como
apoio nas despesas do time e mais um investimento econômico de R$40 mil que envolverá as despesas físicas, de consultoria e mentoria.

Infraestrutura e ambiente – Um espaço de coworking com a estrutura completa para o trabalho em Florianópolis.

Acesso ao mercado – A startup terá relação com a rede de clientes e parceiros da Senior para potencializar o sucesso do seu negócio.

Capacitação – Cada startup receberá capacitações específicas para o desenvolvimento do negócio e produto.

Anjo Corporativo – Dedicação de especialistas de negócios que entendem o mercado da sua ideia, além do acesso
aos melhores profissionais estrategistas e práticas de gestão.

Investimento no negócio – No fim do processo de aceleração, as startups selecionadas receberão um novo aporte de R$200 mil da Senior em troca de uma participação na startup.

Durante nossa visita, conversamos com alguns empreendedores que participaram do programa. É importante ressaltar que 3 das 10 startups que participaram do processo viraram unidades de negócio da Senior, a Citrum, m2agro e Conta Mínima.

Marnei Kaufmann, CEO da Citrum, plataforma de e-commerce, contou que ao entrar no programa, seu produto era completamente outro e depois de muitas reuniões e mentorias, percebeu que o melhor a se fazer era pivotar sua ideia, e então acrescentou um PDV móvel na sua solução.

“A parte fundamental do programa é o acesso ao mercado que a Senior oferece, outra coisa são os anjos corporativos, que são diretores e gerentes da Senior que apoiam diretamente as startups. Em outros programas são oferecidas muitas palestras, workshops, mas a proposta da Senior é completamente diferente”, afirma o empreendedor.

Marcelo Cintra De Melo, sócio da m2agro, uma plataforma de gestão para o agronegócio, já passou pelo processo de aceleração da 21212 e do SEED e também destaca que o programa da Senior é completamente diferente. “O programa da Senior é uma inovação! Ele junta um pouco dos outros dois programas de aceleração que eu participei. Com base no que eu aprendi, a taxa de mortalidade das empresas é muito grande, por isso quando você tem uma empresa maior, bem estruturada e com conhecimento de mercado apadrinhando o seu projeto, sua chance de sobrevivência é muito maior”, conta Marcelo.

Ter acesso ao mercado é uma das grandes dificuldades dos empreendedores e, segundo Marcelo, com o programa, você passa a ter a credibilidade necessária para chegar em um cliente grande, apresentar uma proposta e fazer ele te ouvir. “Essa relação grande empresa versus startups é muito importante para os dois lados, pois dessa forma a startup amadurece em termos de vendas, marketing, desenvolvimento, administração de negócios e, ao mesmo tempo, a grande empresa consegue dar uma oxigenada e começar a sair da sua zona de conforto”, destaca o empreendedor.

As inscrições para a segunda turma devem começar ainda no segundo semestre.

Outras iniciativas da Senior

Desafio da Inovação – Voltado aos funcionários da companhia, a ação visa promover o intraempreendedorismo, potencializar a colaboração e lançar no mercado produtos e serviços inovadores. Os funcionários precisam participar em grupo e ter o produto validado com algum mercado da Senior e, para isso, a empresa oferece todo o auxílio em software. Durante quatro meses, 20% do tempo de trabalho do funcionário pode ser dedicado ao projeto. Caso dê certo, ele é absorvido por uma linha de produto da companhia e o funcionário recebe participação na receita da oferta.

Startup Weekend – Durante os dias 17, 18 e 19 aconteceu pela primeira vez em Blumenau, na sede da Senior, o Startup Weekend, onde empreendedores, desenvolvedores, designers e entusiastas se uniram para compartilhar ideias, formar equipes e criar startups durante 54 horas.

Foto: Divulgação Senior

Foto: Divulgação Senior

O Startupi acompanhou tudo de perto, foram mais de 120 inscrições e 58 ideias, das quais 13 foram escolhidas para serem desenvolvidas. Durante o final de semana, os participantes receberam mentoria para entender a importância da validação, geração de valor, prototipação e apresentação de um bom pitch.

A banca avaliadora, formada por Alencar Berwanger, diretor de Marketing e Produto na Senior; Carlo Augusto de Matos, cofundador da Softplan; Eduardo Luiz, cofundador membro do conselho da Seekr e presidente do comitê de mídias sociais ABRADi; Ilisangela Mais, diretora da RECEPETI e cofundadora da INOV (capta investimento); Markus Blumenschein, executivo na T-Systems do Brasil e Udo Schroeder, vice-reitor na FURB – Universidade de Blumenau, levaram em consideração a validação do negocio, execução, design e modelo de negócio.

Banca avaliadora - Foto: Fernanda Santos

Banca avaliadora – Foto: Fernanda Santos

Ganhadores

1°) Me Salva– Aplicativo para ajudar pessoas, especialmente mulheres em situação de risco.

2°) ToFix– Marketplace para unir quem precisa de reparo em casa com pessoas qualificadas.

3°) Emplacaí– Aplicativo que mantém o usuário avisado sobre seu veículo e elimina burocracias.

Premiação

O terceiro colocado recebeu uma bolsa para o curso Na Medida do Sebrae, um mês de espaço para cada participante da equipe no coworking Wind, e um voucher de R$200 de desconto para qualquer curso de curta duração promovido pela Fundação Fritz Müller. O segundo lugar, uma bolsa para o curso Empretec do Sebrae, dois meses para cada participante no coworking Wind e um voucher de R$300 de desconto para qualquer curso de curta duração promovido pela Fundação Fritz Müller. O primeiro lugar garantiu duas bolsas do curso Empretec do Sebrae, uma bolsa para participar do programa de desenvolvimento empresarial para apoio na construção de planos de negócios da Incubadora Gene, um voucher de R$500 de desconto para qualquer curso de curta duração promovido pela Fundação Fritz Müller e ainda, três meses para cada participante no espaço de coworking Wind.

“É uma honra para a Senior receber o primeiro Startup Weekend de Blumenau, ver os próprios profissionais da Senior e de outras empresas de tecnologia participando e compartilhando o espírito empreendedor é muito gratificante. É muito bom ser um agente dessa tendência de empreendedorismo e da mudança que está acontecendo na cidade. São pequenos eventos que fazem uma história, é muito bom fazer parte disso”, finaliza Cacio, Gerente de Inovação da Senior.