O curta-metragem Sunspring, cujo enredo traz os personagens vivendo um possível triângulo amoroso em um futuro distante – talvez em uma estação espacial -, foi escrito por uma máquina de inteligência artificial que se auto denominou Benjamin. O filme, que mais parece um filme B de ficção científica com diálogos confusos entre os personagens, foi realizado em parceria pelo cineasta Oscar Sharp e o pesquisador Ross Goodwin, com o roteiro inteiramente escrito pela máquina.

De acordo com informações do site Ars Technica, o filme foi realizado para o Sci-Fi London, festival de cinema anual que inclui o The 48 Hour Film Challenge, onde os concorrentes recebem um conjunto de prompts que têm de aparecer em um filme que eles fazem durante os dois dias seguintes. Colaborador de longa data da Sharp, Ross Goodwin , é um investigador de inteligência artificial na Universidade de Nova York, e ele forneceu uma série de roteiros de filmes de ficção científica ao robô escritor, inicialmente chamado Jetson. O elenco do filme se reuniu em torno de uma pequena impressora, e então Benjamin cuspiu o roteiro, completo com direções de palco quase impossíveis como “ele está em pé nas estrelas e sentado no chão.”

Os atores interpretaram o roteiro de acordo com o que liam, acrescentando tom e linguagem corporal, e os resultados são o que você vê no filme. De alguma forma, uma série ligeiramente truncada de sentenças se tornou um conto de romance e assassinato, ambientado em um mundo futuro sombrio. Ele ainda tem a sua própria trilha sonora, interpretada por Andrew James & The Steady Tiger, com uma canção pop que Benjamin compôs depois de aprender a partir de 30 mil outras canções pop.

Apesar de ter sido selecionado entre os dez finalistas, o filme não venceu o festival. Após Benjamin começar a direcionar votos para seu próprio filme, fazendo-o liderar a competição, Sharp comunicou a organização e o concurso precisou ser “cancelado por fraudes virtuais e humanas”, alegou a direção do festival. Assista abaixo ao filme: