Está acontecendo uma onda crescente de investimento de grandes corporações, principalmente por montadoras, em seus potenciais grandes rivais, os serviços de transporte privado urbano. O mais recente deles é que a Toyota acaba de investir no Uber.

Segundo informações da Reuters, a montadora japonesa e a Uber criarão novas opções de locação, na qual os motoristas da startup poderão alugar veículos com condições flexíveis da Toyota Financial Services, que cobrará os pagamentos através dos ganhos dos motoristas no Uber.

Nem a Toyota nem o Uber revelaram o tamanho do investimento, mas a aliança vai além de apenas as vendas de veículos: ambas empresas disseram que a parceria será uma “partilha de conhecimentos e aceleração dos respectivos esforços de pesquisa”. As empresas estão trabalhando em pesquisas de carros autônomos e outras tecnologias que conectem viajantes a diferentes tipos de transporte.

Investimento

As montadoras tradicionais estão correndo para se alinhar com empresas de economia compartilhada, como o Uber, para evitar se tornarem espectadores, caso um número significativo de consumidores em todo o mundo escolham renunciar à propriedade do veículo e comecem a comprar transporte por quilômetro ou horas, como o serviço de caronas.

Em janeiro deste ano, a General Motors comprou uma participação de 9% da Lyft por US$ 500 milhões e a Apple anunciou este mês um aporte de US$ 1 bilhão na chinesa Didi Chuxing, também rival do Uber. A própria Uber, em seu aporte mais recente, alcançou um total de US$ 8,6 bilhões já arrecadados. Ontem, a Volkswagen anunciou que está fazendo um investimento estratégico de US$ 300 milhões na Gett, em uma startup israelense de mobilidade urbana.