* Por Felipe Castro

Este artigo é o segundo em nossa série sobre como definir metas utilizando OKR – Objectives and Key Results. Releia aqui o primeiro artigo. O texto abaixo é uma prévia do livro OKR Secrets, que será lançado em Inglês no segundo semestre

Ao utilizar OKR, é importante entender que existem dois tipos básicos de Key Results:

  • Key Results baseados em Milestones: Medem o cumprimento de tarefas e atividades ou a entrega de milestones de projeto;
  • Key Results baseados em valor: Medem resultados reais e a entrega bem-sucedida de valor (ou um componente de valor) para a organização. Key Results baseados em valor medem os resultados de atividades bem-sucedidas.

Exemplos de Key Results baseados em Milestones são:

  • Lançar a versão beta de um produto;
  • Fazer um evento;
  • Criar um novo programa de treinamento;
  • Desenvolver uma nova campanha de geração de leads.

Os Key Results de milestones normalmente começam com verbos como: lançar, criar, entregar, desenvolver, construir, fazer, implementar, definir, testar, preparar e planejar.

Exemplos de Key Results baseados em valor são:

  • Aumentar a média semanal de visitas para 3,3 por usuário ativo;
  • Aumentar o tráfego orgânico para 80%;
  • Atingir um Net Promoter Score de 52%;
  • Reduzir o churn de receita para 1%;
  • Aumentar o engajamento (usuários que preenchem o perfil todo) para 75%.

Key Results baseados em valor normalmente são construídos em torno de uma métrica específica que representa uma alavanca de valor para a organização.

A estrutura típica de um Key Result baseado em valor é:

Aumentar/Reduzir a métrica ABC de X para Y

Se este é um novo Key Result (por exemplo, um novo produto que ainda será lançado), a sua estrutura típica seria:

Alcançar X na métrica ABC

Um Key Result não precisa ser uma medida do objetivo final da empresa (por exemplo, receita, lucro ou EBITDA), mas pode ser um componente desta métrica.

Por exemplo, se sua empresa utiliza a metodologia NPS (Net Promoter Score) para medir satisfação do cliente, você poderia definir um Key Result que atuasse em um componente do NPS, como o número de clientes que reclamam (chamados de detratores dentro da metodologia) do prazo de entrega. Ao reduzir o número de detratores, estamos estamos atuando em um componente da satisfação do cliente.

OKRs deveriam ser baseados em valor

Quando usados apropriadamente, os OKRs definem os critérios de sucesso para uma organização. Eles deveriam definir se uma pessoa ou um time alcançaram o sucesso. Mas, para fazer isso, os OKRs não podem ser baseados em tarefas/milestones (ou esforço), por três razões principais:

1) Queremos uma cultura focada em resultados

Queremos uma cultura focada em entregar os resultados, não em tarefas.

2) Se você cumpriu todas as suas tarefas e nada melhorou, isso não é sucesso

Sucesso é melhorar algo: clientes estão mais satisfeitos, as vendas estão maiores, custos foram reduzidos. Se você cumpriu todas as suas tarefas, mas elas não te levaram a lugar algum, isso não é sucesso.

A autora e guru Christina Wodtke tem um tweet ótimo sobre “sucesso”:

Sucesso não é riscar coisas de sua lista de tarefas. Sucesso é ter um impacto.

Então, apesar do “triângulo da gerência de projetos”, o fato é que entregar um projeto dentro no tempo, dentro do escopo e dentro do orçamento não é suficiente. O projeto deve ser entregue com sucesso – e isso significa que os objetivos de negócio que o motivaram têm que ser alcançados.

3) Seu plano de ação é apenas uma série de hipóteses.

A metodologia Lean Startup nos ensinou que uma ideia é apenas uma hipótese não-validada. Da mesma maneira, não sabemos se nosso plano de ação realmente vai melhorar nossos resultados ou agregar valor à organização. O plano de ação é apenas uma hipótese, então você não pode conectar seus OKRs a uma aposta não-validada.

Quando estabelecer OKRs, foque no objetivo final, não nos meios para se chegar lá.

Migrando de tarefas para OKRs baseados em valor

Ao começar com OKRs, é muito comum ficar preso em listar atividades e milestones como Key Results.

Para converter esses milestones em valor, pense sobre quais seriam as consequências de ser bem-sucedido com esta tarefa. Quais seriam os resultados desejados?

Alguns times acham essa ferramenta muito útil para identificar os resultados desejados:

Se formos bem-sucedidos com_________,

teremos mais _________ e/ou menos_________.

Exemplo:

Se formos bem-sucedidos com a implementação ERP,

teremos mais velocidade na geração de reports e/ou menos trabalho manual.

Lembre-se que este é apenas um exemplo, não há necessidade de incluir métricas positivas (coisas que você quer mais) e negativas (coisas que você quer menos).

A tabela abaixo lista exemplos de Key Results por Milestones e seus equivalentes, baseados em Valor.

key results

OKRs e planos de ação

Uma das coisas que o OKR pode aprender do Balanced Scorecard é a clara separação entre suas metas e as atividades para atingi-las. O Balance Scorecard tem quatro componentes:

  • Objetivos (O que você quer atingir);
  • Medidas (Como você vai mensurar o progresso em direção a seu objetivo);
  • Alvos (O valor-alvo da medida, a meta real a ser atingida);
  • Iniciativas (Ações e projetos executados para que se atinja o objetivo).

No OKR, você também deve separar os resultados que você quer atingir dos planos de ação para conseguir esses resultados. Os planos de ação devem ser monitorados concomitantemente com os OKRs e devem ser substituídos se não forem validados.


FelipeCastro_Mugshot Felipe Castro (Twitter @meetfelipe) é OKR Coach e sócio da Lean Performance, consultoria focada em ajudar empresas a construírem culturas Focadas em Resultado, Data Driven e Baseadas em Validação de Hipóteses. Felipe é Engenheiro de Computação pela PUC-Rio.