DealMatch foi criada para viabilizar bons negócios para os investidores e consequentemente para alavancar e contribuir com o desenvolvimento de startups consolidadas e com alto potencial de crescimento. A iniciativa é liderada por investidores experientes e conceituados no mercado como Pierre Schurmann, João Kepler, Marco Poli, Camila Farani, Robson Del Fiol e Mike Ajnsztajn.

Em entrevista ao Startupi, João Kepler, conta que a ideia de criar a plataforma surgiu da necessidade de organizar os deals e coinvestimentos em startups.

“O DealMatch não é uma plataforma de Crowdfunding ou similar, trata-se de uma plataforma privativa de relacionamento entre investidores que somente aceita startups que já tenham recebido aportes anteriores de investidores associados e qualificados, que tem experiência em investimentos, conhecem profundamente o assunto e claro, entendem amplamente os riscos de investir e coinvestir em startups”, destaca João.

Toda rodada tem um número muito limitado de investidores, dentro do que é permitido pela CVM. Sendo assim, recebe investimento mínimo de R$30.000,00 por investidor. Por não tornar pública suas ofertas consegue direcionar melhor aos investidores associados as sturtups que melhor se adequam ao seu perfil, fazendo inclusive, parte do conselho dessa startup, se assim tiver interesse.

A Plataforma é fechada para empreendedores, imprensa e interessados e apesar de usar a internet para relacionamento entre os investidores qualificados, as reuniões e encontros  são feitas também de forma presencial.

Apesar do pouco tempo, a DealMatch está em evidência no mercado e o sucesso da plataforma é de fácil explicação: managing partners e investment partners conceituados, mais investidores qualificados, mais startups selecionadas. Tudo isso representa resultados positivos para todos os envolvidos. “Quando resolvemos fundar a DealMatch já tínhamos planejado de forma estratégica como seria sua atuação no ecossistema com foco no investimento e oportunidades. Nós colocamos o investidor no primeiro plano e é nosso papel fazer com eles tenham acesso as melhores oportunidades de negócios através da plataforma”, explica Pierre Schurmann, fundador da plataforma.

Segundo ele, o conselho consultivo da plataforma é responsável por selecionar mensalmente as melhores e mais promissoras startups disponíveis que sejam indicadas e lideradas por um dos investidores associados. “É justamente aí que nos destacamos mais ainda, porque realizamos as devidas diligências, documentação e match com parte do seleto grupo de investidores qualificados”,diz.

Na prática, isso significa que os associados não precisam buscar, analisar e selecionar por conta própria centenas de oportunidades para construir uma carteira. Os próprios associados da DealMatch que apresentam as startups e fornecem todas as informações que o investidores precisam para tomar uma decisão de coinvestir, além de uma equipe disponível para atender e tirar qualquer dúvida sobre o negócio a qualquer momento. “Nós fazemos todo o trabalho e criamos processos automatizados para tornar a vida dos nossos membros ainda mais prática e segura. Tudo isso é para que os associados tenham o maior grau de segurança e assertividade possível, uma vez que estamos lidando com investimento de risco. Por isso o método de curadoria, analise e controle da plataforma é tão importante para os investidores”, conclui Pierre.

Dentro da plataforma existe uma categoria chamada Investment Partners, que são investidores experientes e conceituados no mercado Brasileiros como Aceleratech, Wow, Gávea Angel, Anjos do Brasil e tantos outros. Além disso, os Deals são liderados apenas por investidores associados, como por exemplo, Cassio Spina e Julio Marques. Em relação às novas parcerias, João Kepler afirma que estão sempre abertos a parceiros que possam somar ao negócio desde que tenham o mesmo propósito e fundamentos da plataforma, ou seja, investimento qualificado.

Com atuação em todo território nacional a DealMatch conta hoje com 160 associados que já somam juntos mais de R$ 10 milhões em capacidade de investimento. Só para ter ideia da força, em menos de 3 meses a plataforma já viabilizou três coinvestimentos para negócios no mercado. Em relação à atuação da DealMatch hoje, a estimativa é que nós próximos três meses os investidores associados movimentem R$ 3 milhões. É importante lembrar que este número provavelmente será ainda maior, uma vez que o número de associados qualificados e educados no Brasil vem aumentando de forma constante.

Para participar, não existe nenhuma obrigação de investimento ou mensalidade a pagar, basta solicitar um convite a um dos managers ou investment partners ou preencher um pré-cadastro para a devida qualificação.