Para preparar empreendedores e empreendimentos inovadores, organizando ambientes de inovação, colaborando para o desenvolvimento econômico, social, cultural e ambiental de territórios, o Instituto Gênesis, unidade complementar da PUC-Rio, tem se destacado mundialmente.

Desde o mês de fevereiro, o instituto está sob nova direção. Anteriormente, a unidade da PUC-Rio era dirigida por José Alberto Sampaio Aranha, que ocupou o cargo por 23 anos. O cargo agora é ocupado por João Gabriel Hargreaves, que garante que a atual gestão dará continuidade aos processos inovadores já reconhecidos no Brasil e no mundo e visualizará a sustentabilidade do instituto. “Estaremos apresentando para as startups incubadas, nos próximos meses, as novidades nos processos de consultorias e um novo modelo de parceria com  grandes empresas”, explica.

Em entrevista ao Startupi, João Gabriel, diz que em 2015 o Gênesis ganhou a 13ª posição do World Top 25, ranking elaborado pela UBI Global – instituição de pesquisa sueca que avalia e reúne as melhores incubadoras do mundo. Selecionado na categoria “Melhores Incubadoras de Universidades”, o Instituto conquistou o 1º lugar na América Latina e o 1º lugar no Brasil. Pelo segundo ano consecutivo, foi a única incubadora brasileira a fazer parte dos 25 primeiros selecionados.

João Gabriel Hargreaves, diretor do Instituto

João Gabriel Hargreaves, diretor do Instituto – Foto: Divulgação

Foram avaliadas cerca de 340 incubadoras, em 64 países. Mais de 50 indicadores de desempenho foram utilizados para comparar os processos de incubação. “O Instituto Gênesis foi eleito uma das melhores incubadoras do mundo pela taxa de sobrevivência e taxa de crescimento e desempenho de suas empresas muito melhor do que a média global”, diz o diretor do Instituto. Além disso, o networking do Instituto Gênesis foi um indicador de destaque que garante um ambiente empresarial favorável e capaz de atrair um bom fluxo de negócios.

Como funciona

O processo de incubação do Instituto começa estabelecendo um Plano de Desenvolvimento do Empreendimento (PDE) no curto, médio e longo prazo, avaliando os cinco eixos do negócio: empreendedor, tecnologia, capital, mercado e gestão. “O planejamento nos permite realizar um diagnóstico efetivo das necessidades das empresas, bem como, permite que a mesma ofereça os serviços adequados às reais necessidades de cada empresa”, explica João.

A partir do PDE são definidas as assessorias, consultorias e qualificações que serão oferecidas pelo Instituto Gênesis para auxiliar e impulsionar a startup. O Plano, junto com indicadores de desempenho da empresa, são acompanhados e monitorados periodicamente para que seja possível realizar mudanças estratégicas quando houver necessidade, ou mesmo validar a permanência e a continuidade do plano inicial.

Dos cases de sucesso que já foram incubados pelo Gênesis, João destaca três: Affero, Sieve e Cortex Intelligence. “A Millestone e a Eduweb foram empresas nascidas no Instituto Gênesis e que juntas com a Quickmind, transformaram-se na Affero Lab, a maior empresa de educação corporativa do Brasil e vendida ano passado para a gigante de mídia global Bertelsmann”, diz o diretor. A Sieve, startup de monitoramento de dados e precificação dinâmica para e-commerce, também nasceu no Instituto Gênesis e foi comprada pelo grupo B2W no ano passado. A Cortex, que oferece soluções de Big Data para resultados de negócios, é ganhadora de prêmios internacionais e principal referência no seu setor.

Para João, o que falta no Brasil para que tenhamos cada vez mais incubadoras premiadas como a Gênesis e cases de sucesso como os citados acima é colaboração entre os agentes do ecossistema. “Governos, empreendedores, investidores, aceleradoras e incubadoras, universidades, grandes empresas e prestadores de serviço, todos têm um papel nesse ecossistema e qualquer ação isolada terá efeito bastante limitado. Toda iniciativa de apoio ao empreendedorismo deve ser encarada como uma iniciativa em rede”, diz.

O Instituto Gênesis abre dois editais por ano e neles já gerou 142 empreendimentos que estão no mercado, e juntos somam um faturamento superior a R$ 2,94 bilhões. As inscrições para participar do próximo edital estão abertas e podem ser realizadas até a próxima segunda-feira, dia 25 de abril, pelo site do instituto.