Temos notado um boom no mercado de clube de assinaturas. Hoje as pessoas recebem roupas, cervejas, comidas, livros e até remédios, pagando uma única fatura mensal, sem precisar sair de casa.

Foi pensando nesse nicho de mercado que o empreendedor Rodrigo Gurdos teve um insight. Sua namorada constantemente esquecia de comprar sua pílula anticoncepcional e só se lembrava quando já era hora de recomeçar a cartela. Ele conta que ficava bastante incomodado com o fato dela usar o anticoncepcional em horário errado e principalmente, de não se importar muito com isso; depois disso acontecer com uma certa frequência, ele percebeu que o problema estava em grande parte, no período de pausa – ela esquecia completamente de comprar outra caixa durante esses dias. Então ele procurou inscrevê-la em algum clube de assinatura de anticoncepcional, mas para sua surpresa, ainda não existia nada do tipo no mercado e então decidiu criar a startup CicloCerto.

Funcionalidade

A cliente entra no site, escolhe o medicamento, informa se emenda sua cartela e o dia em que iniciará seu próximo ciclo. Preenche o endereço onde quer receber o produto – pode ser em casa, no trabalho, na casa do namorado – e informa os dados de pagamento. Com isso, eles monitoram o uso do anticoncepcional e sempre antes do medicamento acabar, enviam um novo. Atualmente eles trabalham somente com anticoncepcionais orais, anel e adesivo, mas a cliente encontra todas as marcas desde as mais conhecidas até genéricos.

Gabriela Balazini, Sócia de Rodrigo, conversou com o Startupi sobre a trajetória da startup, os detalhes do processo de aceleração, investimento que receberam e ainda contou os planos de expansão da startup para os próximos meses. Confira abaixo!

CicloCerto x RemédioCerto

Como os empreendedores têm a intenção de expandir o negócio para outros medicamentos de uso contínuo, eles optaram por alterar o nome Ciclo, que remete muito à menstruação, para um nome mais genérico, que traduzisse sua proposta de valor com mais facilidade.

Eles começaram o negócio em 2014, com um MVP e um modelo um pouco diferente do atual. Eles estão trabalhando com a RemédioCerto desde janeiro de 2016, e atendem todas as cidades da região metropolitana de São Paulo.

Escalabilidade

Atualmente os empreendedores optaram por atender somente a região metropolitana de São Paulo, pois pretendem consolidar a operação muito bem antes de expandir. “A estratégia é começar pelas cidades com mais de 1 milhão de habitantes, pois concentram a maioria das mulheres que usam anticoncepcionais orais como método contraceptivo e também a maioria da população que apresentam doenças crônicas. “Já temos uma lista de espera de clientes em diversos estados do Brasil e, em meados do ano que vem, já teremos volume para atender a cidade do Rio de Janeiro”, comenta Gabriela Balazini.

Aceleração

A startup já passou pelo processo de aceleração da Startup Farm e Aceleratech. Durante o primeiro processo, pivotaram o modelo de negócio, amadureceram a proposta de valor e desenharam muito bem o público-alvo e a pessoa para quem oferecem o serviço. Num segundo momento, a passagem pela Aceleratech trouxe profissionalismo para a empresa, amadurecimento para o time, e bases sólidas para crescer de forma sustentável.

Investimento

A RemédioCerto recebeu investimento e, segundo Gabriela, a negociação foi fechada com bastante rapidez, em pouco mais de um mês, por uma iniciativa muito bem conduzida pela Aceleratech. “Recebemos uma rodada anjo da rede de investidores da aceleradora, o que nos dará fôlego para alcançar metas bastante agressivas de crescimento esse ano”, conta ela.

Dificuldades

Segundo Gabriela, sua maior dificuldade ao desenvolver a startup foi com a burocracia. “inicialmente abrimos uma Drogaria e não conseguíamos nos enquadrar em nenhum protocolo da ANVISA, ficamos mais de um ano tentando. Estávamos quase perdendo as forças quando decidimos fazer parcerias com as drogarias. Passado esse momento, tivemos dificuldades com prefeitura, receita federal e vários outros órgãos que simplesmente não conseguem regularizar modelos de negócio inovadores, infinitos procedimentos e processos sem propósito impedem o avanço”, comenta a empreendedora.

Parcerias

Por determinação do governo, os laboratórios não podem fazer venda direta ao consumidor final, necessariamente precisam passar pelas drogarias, por isso a RemédioCerto faz atualmente parceria com drogarias locais, gerando volume de vendas e eles ficam responsáveis pela distribuição. “Existem mais drogarias do que padarias no Brasil e eles fazem muito bem essa operação”, destaca Gabriela.

Sobre o fato de algumas farmácias  já oferecerem vendas online, Gabriela garante que a RemédioCerto não é uma drogaria e tampouco um e-commerce tradicional. “Nosso objetivo não é vender anticoncepcional, e sim entregar comodidade e tranquilidade, sempre prezando pela saúde e pela manutenção da prescrição. Nós não oferecemos o anticoncepcional X ou Y, nem fazemos promoções de produto, essa decisão já está tomada pela cliente e já foi receitada pelo médico. Ela somente seleciona o medicamento, personaliza o ciclo e a partir daí, tira essa preocupação da cabeça. Nós não somos concorrentes, e sim parceiros das drogarias, geramos volume de vendas, previsibilidade de estoque, fidelização do cliente entre outros benefícios”.

Benefícios RemédioCerto

Gabriela conta que nas drogarias convencionais as clientes estão sujeitas a filas, trânsito, falta de estoque e altos preços. Para fugir disso, ela pode optar por comprar pela internet, mas corre o risco do produto não chegar a tempo, perde tempo pesquisando onde o medicamento está disponível e ainda paga um frete caro em relação ao preço do medicamento. Além do fato de que nos dois casos ela tem que lembrar de comprar com antecedência, para que não fique sem o anticoncepcional no início do próximo ciclo.

Já com a RemédioCerto, Gabriela destaca que além do medicamento, a cliente recebe tranquilidade, comodidade, cuidado e saúde.

“Nós garantimos que ela receba de acordo com o ciclo, um novo medicamento alguns dias antes da cartela/anel/adesivo acabar, monitoramos cada cliente para que ela tenha um serviço super personalizado. Não cobramos frete e nossos preços são os mesmos praticados nas drogaria físicas, com a vantagem de que não temos flutuação, eles são reajustados somente uma vez por ano”, destaca a empreendedora.

Além disso, as clientes podem consultar a bula, tirar dúvidas com farmacêuticos e antecipar e/ou pausar as entregas, e em futuro próximo, também terá um aplicativo com alarme inteligente para diminuir o esquecimento de tomar as pílulas.

Planos futuros

Segundo Gabriela, até o final do ano eles irão consolidar a operação com os anticoncepcionais, sua meta é atingir seis mil clientes ativas. A partir daí, passarão a expandir para outros medicamentos de uso continuo, para pacientes diabéticos, hipertensivos, com problemas respiratórios e etc.

Para os empreendedores que buscam um rápido crescimento no seu negócio, Gabriela deixa a seguinte dica:  “Acredito que a dica mais valiosa é: não gaste todo seu dinheiro! Entender bem quem é seu cliente e resolver um problema de cada vez é um bom começo. Mídia paga, Facebook Ads e Google Adwords são ótimos canais de aquisição, mas para crescer rápido e sustentável é preciso apostar em canais não tradicionais. Recomendo blogs e artigos sobre growth hacking, são bastante didáticos e ajudam a encontrar a melhor estratégia para o seu negócio”.