O Brasil tem cerca de 10 milhões de pequenas e médias empresas. Destas, apenas cerca de 10% conhecem o real valor do seu negócio e apenas 2% fazem uma avaliação financeira de seu negócio anualmente. Este número baixo se deve, principalmente, pelos altos custos de se fazer esta avaliação, que depende de um consultor especializado e muitas vezes, está fora do alcance financeiro destes pequenos e médios empresários.

Para fazer isso, Adam Patterson e Breno Pavão, criaram a ALFA Valuation, primeiro portal de avaliação financeira para PMEs e startups online no Brasil, criando uma metodologia que permite a redução de complexidade de valuation em apenas passos fundamentais, onde o próprio empresário e empreendedor conseguem lançar seus dados na plataforma de maneira fácil e interativa, com dicas, exemplos e chat em tempo real. Após de preencher o formulário, o cliente recebe seu relatório de avaliação dentro de 48 horas úteis.

Valuation é fundamental, mas também é apenas a ponta do iceberg, que cria uma visão holística dos drivers do negócio, desempenho operacional e projeções futuras. Por isso o grande foco em educação financeira, ajudando com conhecimento de finanças e termos de investimento, do tipo ROI, custo de oportunidade e payback. Por isso, os relatórios personalizados são bem completos, de até 22 páginas, fornecendo não somente o valor da empresa mas também um mapa financeiro completo que analisa a evolução da empresa e buscar comparar e benchmark com empresas do mesmo setor.

Há uma versão para empresas sem histórico financeiro, outra para quem tem mais estrutura de informações de performance do negócio e o modelo para startups, que ajuda a determinar o indicador de retorno do investimento que deve ser buscado. Os pacotes variam de R$ 1 mil a R$ 2,5 mil, o que pode ser até 30 vezes mais barato que consultoria tradicional, segundo os sócios. “Acredito que um valuation com base nos fundamentais de risco e desempenho futuro da startup é um passo no caminho do profissionalismo na área de investimentos no Brasil. No só startup mas qualquer investimento. Este é uma área pouco profissional no Brasil, um valuation bem feito entra como uma ferramenta independente e auxilia tanto empreendedor quanto investidor, é uma maneira do tirar o “achismo” da formula”, diz Bruno.

Para garantir a robustez das informações, a Alfa recebeu a validação de profissionais do mercado financeiro internacional e professores das grandes escolas de negócio no Brasil, contando, inclusive, com um assessor estratégico um PhD em Finanças Corporativas da Universidade Federal do Paraná para garantir que a avaliação seja rápida e se baseie mais aceitos conceitos de finanças corporativas do mercado internacional contextualizado para o mercado brasileiro. Além do valuation, o foco é na análise de cenários e projeções estatísticas para ter mais assertividade nos números apresentados.

Dentro da plataforma há também um modelo exclusivo para startups, formulado especificamente para empreendedores usarem em negociações com investidores, dando um norte para o potencial do negócio, e assim mapeando o caminho para um investimento saudável. De acordo com os sócios, o objetivo é “ajudar bastante o startupper a ter uma noção mais detalhada do seu valor e ajudar eles a desenharem a história da sua startup em 3, 5 e até 10 anos no futuro”. A metodologia principal  – o FCD – tem base na abordagem das autoridades mundiais da área e é especificamente ajustado para startups e risco-Brasil para contemplar as maiores incertezas e falta de diversificação na maioria dos fundadores envolvidos.

“A avaliação de uma startup não é importante apenas na hora de buscar recursos no mercado. É também fundamental para a análise de desempenho e estabelecer e acompanhar metas e a evolução da startup desde do início. Assim, é sempre um exercício valido para o startupper conhecer os verdadeiros drivers do negócio, especialmente aqueles sem background de finanças e administração”, finaliza Adam.