* Por Elber Mazaro

Você revisou o seu job description recentemente? O que é isto? É importante? Este é um termo em inglês utilizado para o documento que descreve a sua função em uma empresa, o seu cargo e principalmente as expectativas sobre o que você deve fazer no trabalho e, algumas vezes, como fazer.

A tradução literal seria algo como  a “descrição do trabalho”. Peço a sua compreensão, pois vou seguir com o termo em inglês neste artigo, influência das minhas experiências em multinacionais e porque acredito poder me expressar melhor, em linha com o mercado de trabalho, para transmitir algo útil tanto para reflexão quanto para ação. Os resultados esperados ou metas ficam normalmente em outro documento: o de objetivos do período, com as respectivas métricas.

Eu conheci este “danado”, muito cedo. Há um bom tempo, quando fui concorrer a uma vaga de estágio na recém-criada, Autolatina (para os mais jovens, foi a fusão operacional da Volkswagen com a Ford em toda a América Latina no final dos anos 80). Ao chegar no Departamento Pessoal junto com vários outros estudantes, eles distribuíram várias folhas com a descrição das mais de vinte vagas de estágio que estavam disponíveis (o primeiro job description que eu vi) e pediram para escolhermos uma única vaga para a qual desejávamos concorrer.

O limite aceito por vaga era de sete inscritos e quando alguma atingia este número, ninguém mais podia selecioná-la, portanto todos tinham de ler e encontrar algo interessante para a sua provável primeira experiência profissional, o mais rápido possível. Assim como todos os demais candidatos, eu li superficialmente a descrição de algumas posições e quando encontrei algo que parecia interessante, eu me inscrevi.

A próxima fase do processo foi um teste de conhecimentos em processamento de dados e depois veio uma entrevista. Encurtando a história, eu acabei me destacando na entrevista e fui selecionado, para trabalhar no CPD (hoje chamam de Datacenter) da Volkswagen. Meu chefe, o supervisor da área de Segurança e Normalização de CPDs me disse que tinha copiado o tal do job description de outra área e que as minhas tarefas não teriam nada a ver com o que estava escrito naquele papel que eu li no dia da seleção. Lição daquele, dia: não acredite cegamente no job description!

Não, não é isto! Na verdade a lição foi: confira realmente se o que se espera que você faça é o que está descrito e descubra isto o quanto antes, porque pode não ser e aí neste caso, faça como eu, dê um jeito de conversar com seu superior e tente escrever um novo, junto com ele. “Combinado não é caro”, diz um ditado popular.

Foi uma ano incrível, acabei me transformando em um estagiário “biônico” com muita responsabilidade e confiança, que trabalhou em duas áreas críticas (fui com meu supervisor para Telecomunicações após 6 meses no CPD) e o único convidado a ser efetivado após a conclusão do estágio.

Não fui contratado porque mais uma vez usaram o artifício de uma descrição falsa e me arrumaram uma vaga de horista. Descobri no dia de entregar a carteira profissional, após o exame médico de admissão, que horista não podia ser menor de idade, e eu ainda era. Mais adiante, durante minha carreira em empresas brasileiras e multinacionais, descobri o job description era sim muito importante.

Quando assumi posições de gestão, fui apresentado a estatísticas que mostravam que os funcionários que mais criavam problemas eram aqueles que não conheciam bem seu trabalho e o que se esperava deles, ou então tinham a percepção que era necessário ir além do que estava no job description e fazer outra coisa, algo mais.

Tudo bem se já tivesse sido entregue tudo o que se esperava daquele funcionário, mas na maioria das vezes as pessoas assumiam a sua própria definição do trabalho, sem considerar a ferramenta ou aplicando uma interpretação muito peculiar; e não cumpriam tudo o que tinha de ser feito, da forma adequada, e já saíam a fazer outras atividades que consideravam mais prazerosas ou de maior visibilidade. Depois na avaliação anual ou em alguma outra conversa com o gestor, descobriam que estavam com uma performance abaixo do esperado, e então: choque, desespero, surpresa, frustração…

Se você quer ser dono do seu nariz, quer crescer na sua carreira profissional e se destacar no mercado, é importante entender bem o seu job description e caso não possua um, nada melhor do que você mesmo tomar a iniciativa de escrever, revisar e aprovar um documento junto com os seus “stakeholders”.

Hoje eu entendo que isto é válido inclusive para empreendedores, com seus negócios e inovações. Pode ser na hora de responder aquele investidor sobre o seu papel na empresa, na hora de negociar com seus sócios, e até mesmo para saber o que você não tem competência para fazer, mas que precisa ser feito por alguém, e aí, sair à caça.

O job description a que me refiro não é uma peça estática. Também aprendi que ele pode ser evolutivo, por exemplo: quando alguém entra na empresa, o que se espera nas primeiras semanas é um processo de aprendizado, integração e pouca produção/contribuição. Com o passar do tempo, as expectativas vão crescendo e a ferramenta vai ganhando mais corpo, junto com as expectativas, ambos vão crescendo, e também as suas entregas profissionais.

Busque entender o todo no tempo, ou seja, qual é a expectativa ou descrição completa da sua função e depois quais sãos as fases de evolução com o tempo e contexto da empresa e/ou do mercado.

Caso deseje uma promoção, é um bom exercício descobrir o job description da posição almejada e conferir sua possibilidade de execução ou onde pode se desenvolver. O mesmo também se aplica a funções sociais, públicas e ao voluntariado, pois todas estas atividades podem se beneficiar de um job description bem escrito.

Já ouviu alguém dizendo que é o faz tudo da empresa? Bem, aí está uma clara falta de job description. Será que faz tudo mesmo? O que é tudo? Para quem? Quando? Estes são componentes e detalhes fundamentais a serem incluído no job description. Voltando à questão original; você conhece bem o seu ? Se não, está na hora de fazê-lo. Bom desenvolvimento! Mas, e seu eu estou desempregado ou sou um estudante? Você também pode ter o seu job description, e neste caso que tal começar com: “minha função deve ser a de procurar emprego” e seguir com mais detalhes sobre como fazê-lo.


Elber Mazaro - Espaço do Executivo / Empreendedor Elber Mazaro é cofundador do Descomplicando Carreiras. Assessor, consultor e professor em Estratégia, Marketing e Carreiras. Mestrando em Empreendedorismo na USP, com pós-graduação em Marketing e bacharelado em Ciências da Computação. Possui mais de 25 anos de atuação mercado de tecnologia e liderança de negócio, marketing, vendas, serviços e área técnica.