A chegada do aplicativo Uber no Brasil e a polêmica em torno de sua regulamentação abriu portas para que novas ferramentas inovassem na oferta de transporte particular. É o caso do WillGo, app que permite a autogestão e o pagamento direto ao motorista. A startup já começou a cadastrar sua frota em todo o Brasil e, além de apostar na flexibilidade quanto ao modelo e cor do veículo utilizado (carro ou moto), oferece ainda o agendamento de corridas com até 48h de antecedência e a opção de usuário selecionar condutores favoritos.

Ao invés de uma porcentagem do faturamento com as corridas – a Uber, por exemplo, cobra entre 20% e 25% –, o uso do app requer apenas o pagamento de um valor fixo trimestral, anual ou bianual dos motoristas. “Funciona como uma assinatura para obter a licença de uso da ferramenta durante aquele período específico. O pagamento da corrida é feito por cartão de crédito e vai direto para o bolso do prestador de serviço. Ele faz sua autogestão”, afirma o diretor da startup no Brasil, Gabriel da Silva.

O objetivo é ser democrático e incentivar o empreendedorismo por meio do transporte. Além de carros de variadas categorias para passageiros – Black, Smart, SUVs, blindados –, motocicletas poderão fazer entrega de objetos e documentos. “De um lado, ajudamos quem quer trabalhar com o carro ou outro veículo e, de outro, aumentamos a oferta dos serviços de entrega”, explica Silva, que destaca a abrangência do aplicativo, não só presente nos grandes centros urbanos, mas também em cidades pequenas.

Uma das principais vantagens aos passageiros é que o aplicativo não tem as chamadas tarifas dinâmicas, em que se cobra mais caro pela corrida dependendo do horário em que é feita. Os preços são fixos, tarifados conforme o tipo de veículo requisitado e a quilometragem. O agendamento e a possibilidade de “favoritar” os motoristas, acionando-os sempre que quiser, também contam a favor do usuário.

Segundo Rubens Cavalcante Neto, responsável pelo corpo jurídico da WillGo, a plataforma atende às exigências previstas no decreto de regulamentação da atividade proposto pelo prefeito Fernando Haddad, e “seu exercício é 100% regular, lícito e legal”. Somado a isso, a startup oferece treinamento para os condutores, orientando quanto ao uso da ferramenta e a experiência que deve ser proporcionada ao passageiro.

Desde fevereiro de 2016, o app – que funciona para os sistemas Android e iOS – está disponível para cadastro dos motoristas e download somente pelos servidores da WillGo. As exigências para os interessados incluem a regularização da carteira de motorista e antecedentes criminais, e os planos custam a partir de R$ 5,75 por dia (no pacote bianual, por exemplo). As operações para usuários em todo o território nacional devem começar em março.