O Startupi conversou com Carlos Andre Montenegro, empreendedor, investidor e fundador do primeiro e-commerce de perfumes e cosméticos do Brasil. Ele contou detalhes da sua jornada empreendedora e as principais diferenças entre investir no Brasil e nos EUA.

André sempre correu atrás dos seus sonhos, aos 14 anos queria ser DJ e já tocou em casas noturnas para mais de 4 mil pessoas. Outro sonho era ser jogador de futebol e fazer um gol no maracanã. Sim! Ele conseguiu realizar esse sonho e fez um gol no estádio para 45 mil pessoas. Seu terceiro sonho era lançar o primeiro site de produtos de beleza no Brasil, coisa que também conseguiu realizar.

Como tudo começou…

Aos 14 anos André fez um curso de DJ e tocava em casas noturnas com autorização dos pais. Nessa época o mundo não era nada globalizado, por isso, a cada seis meses precisava ir para os EUA ou Europa para comprar músicas novas e se atualizar. Essa foi a maneira que André conseguiu para se manter atualizado já que as músicas demoravam de 3 a 4 meses para chegar no Brasil.

Em 96 ele conheceu a Amazon e descobriu a possibilidade de comprar discos importados sem sair de casa e percebeu o potencial da internet e do comércio eletrônico.

Carlos vem de uma família de empreendedores que foram os fundadores do instituto de pesquisa IBOPE, vendido no final do ano passado para o grupo de mídia britânico WPP.

Como ele adorava o universo da internet, aos 19 anos de idade conversou com seu pai para ver a possibilidade de conseguir um emprego nessa área. Seu pai tinha acabado de fazer um investimento anjo no site de busca Cadê e aproveitou para integrar o filho.

André então começou a trabalhar no Cadê vendendo publicidade e acompanhou a entrada do primeiro varejista online do Brasil na internet brasileira, a Americanas.com. Ele viu o sucesso desse negócio acontecendo de forma muito rápida e foi aí que teve um insight. Ele lembrou que o pai de um amigo próximo tinha uma loja física de cosméticos e teve a ideia de vender os produtos pela internet. Quando teve essa ideia, voltou a conversar com seu pai dizendo que ia sair do Cadê para vender produtos cosméticos pela internet. No começo seu pai não concordou, ele estava apenas há 1 ano no Cadê, tinha recém conquistado uma posição melhor na empresa e na época o site de busca era o site mais acessado do Brasil.

Com um empréstimo de R$ 100 mil nasceu a Sack’s, que se tornou o maior e-commerce de cosméticos da América Latina com mais de 3 milhões de clientes ativos, mais de 1 milhão de entregas por ano e mais de 5 milhões de visitas mensais. A Sack’s também entrou na lista dos 200 sites mais visitados do Brasil.

Ao longo do caminho André teve algumas conquistas marcantes com a Sack’s. Apenas 18 empresas de varejo no mundo vendiam a marca Channel pela internet, devido a uma política bem restrita da marca, por ela ser a marca mais pirateada do mundo. A Sack’s fazia apenas vendas online, mas a Channel construiu uma loja física da marca para a Sack’s no Brasil para que eles pudessem vender seus produtos no e-commerce. Com isso, a Sack’s se tornou o terceiro maior site de vendas de Channel do mundo. Ao longo de 10 anos, eles conseguiram mais de 20 marcas que apenas a Sack’s comercializavam no país.

10 anos depois chegou um novo sonho, eles estavam sendo assediados por diversos fundos de investimentos por causa da crise de 2008, 2009 que foi muito forte tanto na Europa como nos EUA. Foi quando começaram a falar do BRICS, Brasil, Russia, Índia, China e África do Sul e começaram a olhar para o mercado de cosméticos brasileiro, que hoje é o terceiro maior mercado de cosméticos do mundo.

Certo dia André recebeu o contato do grupo Lvmh Moet Hennessy Louis Vuitton, maior empresa de cosméticos do mundo, que ainda não tinha uma presença no mercado brasileiro com a Sephora, rede mundial de lojas de cosméticos. O grupo estava acompanhando a história da Sack’s, que vendia diversas marcas da qual o grupo era proprietário como Dior, por exemplo. Eles tinham interesse em expandir a operação para o Brasil e queriam que a operação fosse feita via Sack’s.

Foi a primeira vez no mundo que a Sephora, presente em mais de 30 países, entrou em um novo mercado através de uma outra marca. Mais do que isso, foi a primeira vez da história que a Sephora entrou em um país através de uma plataforma online. Eles sempre abriam uma loja física e depois criavam um e-commerce da marca. Foi aí que apareceu o novo sonho de André: lançar a Sephora no Brasil.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Em 2010 o grupo Lvmh comprou 70% da Sack’s por valores não revelados e André então se tornou o CEO e presidente do conselho da empresa. Com o tempo, a marca Sack’s sumiu do mercado dando lugar para a Sephora.

2012 André inaugurou a primeira loja da marca no país no shopping JK Iguatemi, que hoje está no top 15 em vendas no mundo. A loja também bateu o recorde mundial de vendas no primeiro dia de abertura da loja. Com o sucesso, eles decidiram investir pesado em outra loja, no shopping Eldorado ,que para a abertura contou com o circo de soleil.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

André conta que foi uma conquista pessoal quando levou a Sephora para o Rio de Janeiro. Para a comemoração de 1 ano da loja ele promoveu a primeira corrida de rua só para mulheres, fechando Leblon e Ipanema, onde ofereceu a cada Km percorrido pelas mulheres o direito a um cosmético da marca.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Hoje André mora e empreende nos EUA, além de ser investidor. Esse ano ele investiu R$ 5,3 milhões na Startup Farm, se tornando sócio da aceleradora. Ele também está acelerando dois negócios nos EUA, um aplicativo de saúde e outro da industria Pet.

Sobre seu maior desafio como empreendedor André afirma que empreender no Brasil é o grande desafio. Segundo ele, falta apoio, as leis ainda são muito complexas, mudam muito rápido e parte tributária e fiscal é algo bem difícil.

Ele cita o exemplo de quando decidiu investir nessa empresa de saúde nos EUA. Ele abriu sua empresa de investimentos e no mesmo dia já tinha uma conta para fazer a transferência dos recursos para a empresa. Quando André entrou para a Farm, a transação foi fechada no meio de junho e demorou cerca de dois meses para ele conseguir abrir uma conta bancária para depositar os recursos financeiros dos investimentos que eram necessários.

“Essa é a grande diferença entre empreender no Brasil e nos EUA. Lá as coisas são descomplicadas, as leis são mais simples, muito mais fáceis de entender e muito menos complexas, o que permite que você invista realmente seu tempo no seu negócio. No Brasil você precisa dedicar o seu tempo para fazer o negócio crescer e ao mesmo tempo precisa ficar preocupado com as leis que mudam todo dia, com as burocracias que você enfrenta para abrir um CNPJ, ou abrir uma conta bancária para você conseguir começar o seu negócio”. André afirma que devemos estar próximos do governo e destravar essas amarras que temos na economia, só assim conseguiremos criar um ambiente mais propício para o empreendedorismo no Brasil.

André conta que enfrentou vários desafios na parte de logísticas, pois quando lançou o primeiro e-commerce de cosméticos no Brasil era uma coisa muito nova e existiam apenas uma ou duas empresas vendendo produtos pela internet. O desafio foi quebrar a barreira das pessoas pararem de ter medo de colocar o cartão de crédito para fazer compras online, o que hoje é uma coisa comum, todo mundo compra pela internet.

“Hoje me considero um cara antiquado para o e-commerce, quando sai do negócio em 2014, as vendas ainda eram feitas em sua maioria pelo desktop, hoje a realidade é diferente, as pessoas compram muito mais pelo mobile e eu não me considero um cara expert em mobile”.

André também acredita que o grande desafio dos empreendedores hoje não é só trazer seus produtos e ideias para o mercado, mas também conseguir se manter atualizado, conectado e atento ao que acontece no mundo da inovação. “As coisas acontecem em outra velocidade. Hoje os negócios nascem e morrem muito rapidamente como Orkut e o Blackberry”.

Para finalizar, André compartilhou os 7 mandamentos da sua vida, que servem como dica para os todos os empreendedores.

  • Viva para realizar seus sonhos
  • Trabalhe duro todos os dias e tire férias todos os anos
  • Pense grande e execute nos detalhes
  • Não perca o foco em situações adversas
  • Lembre-se: Você não faz nada sozinho
  • Monte um time forte, tente sempre contratar pessoas que são melhores do que você
  • Seja humilde! Reconheça e aprenda com os seus erros