Acontece amanhã (26), no auditório do Badesul, evento voltado para empresas e empreendedores com projetos inovadores. O Criatec 2 é um fundo de investimentos focado no apoio às empresas de inovação e que conta com a participação do Badesul Desenvolvimento – Agência de Fomento do Rio Grande do Sul  e de outros cotistas. O fundo possui capital comprometido de R$ 186 milhões para investimento em aproximadamente 36 empresas de diferentes setores da economia. Entre seus objetivos estão a promoção da capitalização e do crescimento acelerado de empresas com faturamento liquido anual inferior a R$ 10 milhões.

Além do limite de faturamento e atuação na área de inovação, a empresa que submete seu projeto para avaliação precisa dar atenção a aspectos como dedicação da equipe, escalabilidade, barreira de entrada e a necessidade de investimento condizente com o valor a ser investido pelo fundo.

“Estes fatores são muito importantes para que a empresa tenha maior chance de ser investida pelo fundo”, reforça o sócio e diretor executivo da Triaxis, cogestora do Criatec 2, Eric Ribeiro, ao destacar que a seleção das empresas é feita com critérios rigorosos. As empresas interessadas podem enviar propostas por meio do site e o prazo de avaliação, desde o recebimento da proposta até o exame do comitê do fundo, dura, em média, quatro meses.

Os setores-alvo do projeto são Tecnologia de Informação e Comunicação, Agronegócios, Nanotecnologia, Biotecnologia e Novos Materiais. Entretanto, o fundo tem interesse em projetos e empresas ligadas a outros setores da economia como, por exemplo, Saúde, Logística, Energia, Defesa & Segurança e Educação.

Empresas beneficiadas

As empresas gaúchas Cliever e EZ Commerce, em Porto Alegre, e Yller, de Pelotas, já foram selecionadas pelo projeto criado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com objetivo de acelerar o crescimento, implementar boas práticas de gestão e incrementar ações de governança corporativa. O fundo pode destinar até R$ 6 milhões para cada empresa selecionada.

Ao ser investida, a empresa passa a ser uma Sociedade Anônima e o Criatec 2 constitui-se como um de seus acionistas minoritários. Durante o período em que o fundo for acionista, oferecerá apoio profissional na gestão visando favorecer o crescimento da empresa. Após o período de maturação do investimento, o fundo buscará um comprador para a sua participação na empresa e deixará de ser acionista.

Com duração prevista de 10 anos, sendo que os quatro primeiros referem-se ao período de investimentos, o fundo poderá investir até R$ 2,5 milhões em cada empresa, em uma primeira rodada. Os empreendimentos que mais se destacarem poderão receber rodadas subsequentes no valor de até R$ 3,5 milhões. Por não se tratar de um empréstimo, o Criatec 2 não exige contrapartidas de recursos próprios e nem efetua a cobrança de juros.

Investimentos em Inovação do Badesul

O Criatec 2 é gerido pela Bozano Investimentos e pela Triaxis Capital e conta com a participação do BNDES e de outros quatro bancos de desenvolvimento regionais, entre os quais, o Badesul. Ao todo, o Badesul Desenvolvimento S.A. do Rio Grande do Sul comprometeu R$ 10 milhões neste fundo de investimentos. Além doCriatec 2, o Badesul investe também no fundo CRP Empreendedor e está em tratativas com o fundo Criatec 3.

Paralelo a participação nos Fundos de Investimento em Participação, o Badesul possui linhas de crédito para empresas inovadoras, como o Inovacred e Inovacred Expresso, da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), e MPME Inovadora, do BNDES. Para saber mais sobre endereço, horário e programação, acesse o site.