Rocio Fonseca, atual diretora-executiva do programa Start-Up Chile, maior hub de startups da América Latina, fala ao Startupi com exclusividade no terceiro vídeo da série sobre o Programa, que é financiado pelo governo chileno e atrai empreendedores de todo o mundo para o país.

Empreendedora, Rocio é engenheira de Biotecnologia e tem mais de 10 anos de experiência com o mercado de inovação e empreendedorismo em diversos países.

O programa, segundo Rocio, está em constante crescimento e mutação, se focando muito mais em aproximar os empreendedores dos investidores e do mercado e preparar estas startups para fomentar o ecossistema empreendedor chileno e latino-americano, fazendo-o crescer continuamente e como um todo. Por isso, startups do mundo inteiro são convidadas a participar do programa de aceleração e contribuir com o ecossistema trazendo inovação, fazendo com que empreendedores estrangeiros tragam impacto e desenvolvimento ao mercado chileno.

Rocio diz que o Start-Up Chile está focado em temas como ciência, tecnologia, software e biotecnologia, mas quaisquer soluções inovadoras, rápidas e com formato dinâmico, mesmo fora deste universo serão sempre bem-vindas ao programa, que tem a duração de seis meses.

O perfil dos empreendedores que participa do programa é formado principalmente por jovens, que são criativos e têm ambições de mudar o mercado, fazendo com que durante o tempo de duração da aceleração laços de amizade e de negócios se formem entre estes empreendedores de todas as partes do mundo, fazendo desta uma experiência única de crescimento pessoal e de profissional para eles.

Novidades

O Start-Up Chile está lançando um novo programa, chamado Scale, um fundo de follow-on que oferece cerca de US$ 100 mil para startups que têm tração significativa, geram receita e precisam de capital adicional para crescer no Chile e expandir para o resto da América Latina. Apenas empresas que já participaram do programa de aceleração de seis meses podem se candidatar a este fundo, para que permaneçam no país por pelo menos um ano após o fim da aceleração.

Há ainda o Startup Factory, programa de pré-aceleração que prioriza startups fundadas ou dirigidas por mulheres, com o objetivo de incentivar o ingresso delas neste universo tecnológico e fomentar o empreendedorismo feminino.

Conheça aqui as startups estrangeiras participantes do programa Start-Up Chile e aqui as brasileiras que fazem parte do processo de aceleração chileno.