A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e a Associação Software Livre.Org (ASL.Org) pretendem estimular a participação do público jovem na comunicação pública com o desenvolvimento de um aplicativo durante a 16ª edição do Fórum Internacional Software Livre. O evento acontece na próxima semana, de 8 a 11 de julho, no Centro de Eventos da PUCRS, em Porto Alegre. O resultado do concurso pode ser utilizado em veículos como Portal EBC, TV Brasil, Agência Brasil, além das oito emissoras de rádio Nacional e MEC, que compõem o sistema público de Rádio.

A atividade “Hackathon EBC/FISL 16 – Amplifique as vozes: a pauta da sociedade” tem como objetivo criar um aplicativo voltado ao público jovem que dialogue bem com as tecnologias móveis. A ferramenta precisa funcionar como um banco de pautas, em que os usuários propõem atrações, assuntos, temáticas, programação cultural, e notícias a serem abordadas.

As aplicações desenvolvidas devem ser licenciadas como Software Livre e ter seu código aberto para que quaisquer agentes da sociedade possam se apropriar da ferramenta. Serão aceitos grupos de até quatro pessoas para o desafio. As inscrições começam no início na quarta-feira (8) às 9h até sexta-feira (10), às 12h. O encerramento e premiação da atividade acontecerão no sábado (11), em horário e local a serem divulgados. A pré-inscrição já pode ser feita. Acesse o edital para ver o regulamento completo.

A cobertura do evento será feita pela EBC, pela rádio Nacional AM de Brasília e também será veiculado no programa Ponto com Ponto Br, da Rádio Software Livre, que também tem transmissão pela web. Além de repercutir as principais discussões do FISL, a iniciativa permitirá levar o Fórum para fora do evento, ampliando o público.

De acordo com o coordenador de novas mídias da EBC, Daniel Roviriego, a iniciativa é importante por estimular a relação dos diferentes públicos com uma ideia menos hierarquizada de comunicação. “Queremos fazer um sistema de qualificação de opiniões e incentivar as pessoas a darem ideias de pauta. Para isso, é fundamental construir uma comunidade em volta do aplicativo, para que ele possa ser aprimorado de forma livre”, explica.