O Startupi participou hoje de um workshop sobre empreendedorismo tecnológico onde foi anunciada a nova iniciativa do Itaú Unibanco em parceria com a Redpoint e.ventures, chamada Cubo, atividade sem fins lucrativos que chega ao mercado para ser um grande centro de empreendedorismo tecnológico no país.

“Até hoje não existe um local onde  pessoas possam ir para encontrar startups, investidores e mentores. Foi pensando nisso que surgiu o Cubo, para facilitar e preencher a lacuna de densidade” afirma Flávio Pripas, diretor do projeto.

O Cubo será um espaço na Vila Olímpia com 5.000m², 3 andares de coworking, 1 andar para workshops e treinamentos, anfiteatro para 130 pessoas, espaço para café e terraço com lounge para interação e eventos.

cubo-espaco

“Além de ser um novo pilar e ponto de encontro, tenho certeza que o Cubo irá marcar o início de uma nova fase, mais acelerada e colaborativa em nosso mercado”, afirma Anderson Thess, sócio fundador da Redpoint e.ventures.

Para Ricardo Guerra, diretor executivo do Itaú Unibanco, a união das forças entre Itaú e Redpoint e.ventures faz do Cubo um novo modo de fomentar o mercado de empreendedorismo na América Latina, tornando-o mais inovador e transformador para toda a sociedade. “A iniciativa apoiará desde Startups digitais em estágio avançado até empreendedores que precisam de incentivo para tirar sua ideia do papel, tudo isso com a oferta de infraestrutura de qualidade, networking e conteúdo de educação empreendedora”.

O Cubo para Empreendedores
Empreendedores poderão usufruir da infraestrutura e serviços, aproveitar o networking, receber mentoria, expor sua marca além de participar de cursos e eventos.

O Cubo para Investidores
Investidores poderão conhecer, entender e encontrar Startups para investir. Ficar por dentro das tendências do mercado, fazer networking e também participar de palestras e workshops.

O Cubo para Mentores
Mentores poderão usufruir da infraestrutura, conhecer tendências de mercado, participar de eventos e contribuir com o ecossistema de Startups brasileiro.

O Cubo para Estudantes
Estudantes terão acesso a cursos, palestras, workshops, hackatons, além de estar em contato com novos mercados e grandes empresas.

O Cubo para Universidades
Universidades poderão usar o espaço para promover eventos para os alunos, conhecer o mercado, realizar pesquisas e entender os novos conceitos de produtos.

O Cubo para grandes Empresas
Grandes empresas poderão encontrar novos fornecedores e clientes, conhecer e entender o mercado de Startups, além de poder realizar palestras e workshops.

O objetivo do Cubo é ser um ponto de encontro para tudo o que acontece no ecossistema de Startups Brasileiro. “Quando um empreendedor do Rio Grande do Sul precisar vir para São Paulo encontrar um cliente, investidor ou programador, esse encontro pode acontecer no Cubo” destaca Anderson Thess, sócio fundador da RedPoint.

Durante o evento foram destacados diversos pontos interessantes sobre o ecossistema de Startups Brasileiro. Guilherme Junqueira, gerente executivo da ABStartups, apresentou os seguintes dados sobre o perfil das Startups:

83% são Homens 17% Mulheres.
67% estão entre 25 e 40 anos.
51% pertence a Classe B e 28% Classe A
*Fonte eBricks Digital

E onde estão as Startups?

27% em São Paulo  (937 Startups)
8.5% em Minas Gerais (289 Startups)
7.4% no Rio de Janeiro (254 Startups)
*Fonte: Banco de dados ABStartups

Guilherme destaca que no momento precisamos localizar e entender as Startups, fomentar o ecossistema brasileiro para que as Startups amadureçam e voltem contribuindo ainda mais para o ecossistema.

Ricardo Guerra, diretor executivo do Itaú Unibanco, conta que hoje 65% do que os clientes fazem é através de canais eletrônicos; Internet e mobile e apenas 35% por canais tradicionais como agência e central de atendimento. “Está mudando a forma com que as pessoas interagem com o mundo e o Itaú está se adaptando aos seus clientes utilizando cada vez mais recursos tecnológicos”.

Anderson Thess, sócio fundador da Redpoint e.ventures, destaca que as grandes empresas podem contribuir muito com o ecossistema e cita o exemplo do Vale do Silício onde diversas empresas interagem com o ecossistema. “Pode ser uma empresa que compra os serviços da Startup, uma empresa que compra a própria Startup ou que acredita no talento dos empreendedores, essa interação é fundamental para que o ecossistema funcione”.

O Cubo será inaugurado em Setembro e contará com 250 profissionais residentes, 200 pessoas do público não residente e terá capacidade para até 50 Startups. Para mais informações acesse http://cubo.network/.