São Paulo, 31 de março de 2015 – O Brasil vive um momento de expansão dos negócios de impacto social, empreendimentos que constituem uma forte tendência contemporânea ao propor a atuação de empresas que oferecem, de forma intencional, soluções escaláveis para problemas sociais da população de baixa renda.

A ARTEMISIA, pioneira no Brasil no fomento e aceleração de negócios de impacto social, há uma década tornou-se uma das protagonistas desse movimento no Brasil. Nos últimos quatro anos, a organização acelerou 59 startups com foco nas áreas de Educação, Saúde, Serviços Financeiros e Habitação, dos quais 92% continuam ativos e 46% receberam investimento, somando R$ 32 milhões em capital recebido no primeiro ano após a aceleração.

Em 2014, ARTEMISIA acelerou 24 Startups inovadoras que oferecem soluções para problemas sociais, principalmente nos setores de saúde e educação. Dentre elas, destacam-se Guten, Alpha Lumen e Wikidu, em educação e na Saúde, Tá na Hora e Multiorto.

Segundo Renato Kiyama, diretor de Aceleração da ARTEMISIA, o Brasil tem um mercado em franca expansão para negócios de impacto social. Uma das razões é que 85% da população é formada pelas classes C, D e E – essas pessoas são responsáveis por 47% da renda do país. Segundo o executivo, a ARTEMISIA tem atuado fortemente, há uma década, para identificar e dar suporte aos negócios mais promissores. Kiyama ressalta que ao contrário de outros mercados emergentes, o Brasil possui um governo ativamente envolvido na prestação de serviços voltados para a base da pirâmide, o que o torna um possível cliente ou parceiro dessas Startups.

Empreendendo a transformação
Existem milhares de crianças e jovens no Brasil com altas habilidades que independem de aspectos sociais e econômicos. Em comum, esses jovens têm o fato de muitas vezes não serem identificados e, portanto, não terem condições adequadas de trabalhar e desenvolver suas habilidades. Para suprir essa lacuna, o Instituto Alpha Lumen foi criado por Nuricel Villalong Aguilera e Gustavo Haddad Braga, em 2007.

A Alpha Lumen é uma escola que identifica e desenvolve alunos com altas habilidades por meio de três principais fatores: definição de estratégia educacional com metas de aprendizado individualizadas; estrutura pedagógica motivadora, respeitando as singularidades de cada aluno; e ambiente de aprendizado colaborativo com estudantes participando ativamente de decisões.
Estatísticas oficiais apontam que entre os estudantes matriculados no Ensino Básico, no Brasil apenas 2.769 possuem altas habilidades. Na prática, considera-se que haja um grande desperdício de talentos no país, já que se estima que cerca de 10 milhões de alunos tenham esse perfil, oriundos de diferentes estratos socioeconômicos. Por meio de uma metodologia inovadora e um modelo de negócios de subsídio cruzado, a Alpha Lumen desenvolve o pleno potencial desses alunos, alavancando suas altas habilidades e atingindo assim altas taxas de aprovação desses alunos nas melhores universidades brasileiras e internacionais.

Um outro exemplo na área educacional, em 2014, foi a Guten – empresa de educação focada em desenvolver a competência da leitura por meio de aplicações mobile. Os pilares da Startup são: criar engajamento à leitura por meio de conteúdo curado e com base nas competências do século XXI; tornar a leitura divertida e interativa, utilizando tecnologia e jogos; e oferecer textos com níveis de complexidade adequados para cada leitor, oferecendo o desafio adequado para cada criança.

O Guten News é o primeiro jornal digital interativo dedicado ao público infanto-juvenil, no qual pais e professores têm acesso a relatórios de acompanhamento e planos de ação específicos para identificar a evolução, preferências e as dificuldades de cada leitor. Além disso, permite a avaliação do desenvolvimento da habilidade de leitura para intervenções – aspectos importantes para combater o desinteresse e consequente evasão escolar. A Startup foi criada em 2014 por Danielle Brants e Daniel Funis.

Um dos principais problemas enfrentados pelo sistema educacional brasileiro é que as crianças, embora estejam na escola cursando o Ensino Fundamental, não aprendem o básico. Com esse diagnóstico em mente, a ARTEMISIA focou em apoiar soluções inovadoras capazes de desenvolver a capacidade de aprender, fomentando o desenvolvimento de competências – não a simples transmissão de conteúdo. É nesse nicho que a Wikidu se destaca.
Criada em 2012 por Zé Aliperti e Flávio Marini, a Kidu é um sistema de ensino por projetos que cria experiências de aprendizagem significativas a partir dos materiais didáticos usados pelas escolas. Para cada conteúdo curricular, a Startup sugere aos professores projetos a serem realizados pelos alunos, dentro ou fora da escola. Os próprios alunos registram o trabalho e fazem upload na plataforma, o professor avalia, acompanha o aprendizado e o desenvolvimento de diversas competências. Além disso, os melhores conteúdos produzidos pelos alunos são organizados e disponibilizados gratuitamente na WIKIDU, a primeira enciclopédia digital de crianças para crianças.

Negócios de impacto social para o setor de saúde
A Saúde foi o segundo setor em número de Startups aceleradas pela ARTEMISIA em 2014. Foram quatro empresas, dentre as quais se destacam a Tá na Hora e a Multiorto.

Embora seja um programa de referência em políticas públicas de saúde, o SUS apresenta diversas deficiências – que se transformam em oportunidades para empreendedores de negócios de impacto social. De acordo com a equipe da ARTEMISIA, uma dessas oportunidades está relacionada aos cuidados com as gestantes e os primeiros meses de vida do bebê. Muitas das complicações enfrentadas nesse período pelas mães brasileiras da baixa renda poderiam ser evitadas com um maior acesso à informação e acompanhamento médico. É nesse contexto que se insere a Tá Na Hora, empresa que desenvolveu uma ferramenta simples de acompanhamento para diversas áreas da saúde e tem um foco especial para gestantes e novas mães.
O Tá Na Hora, criado por Michael Kapps e Juliano Froehner, é uma plataforma de acompanhamento de pacientes que permite ao médico manter contato com todos os seus pacientes simultaneamente via SMS ou WhatsApp. O sistema permite que o profissional ative programas pré-configurados para a sua especialidade ou procedimento realizado. O paciente, por sua vez, recebe e envia mensagens sem custo; os dados inseridos pelo paciente são centralizados e transformados em relatórios simples e intuitivos para os médicos – permitindo, assim, o monitoramento constante de todos os pacientes e a ação rápida em caso de anormalidade. Uma das aplicações é para gestantes – um acompanhamento oferecido pela plataforma que compreende o período pré-natal e os primeiros meses após o nascimento da criança.

Um outro problema da área da saúde é a falta de acesso da população de baixa renda a serviço de especialistas, sendo a odontologia um deles. Nesse cenário, o grande desafio é criar um modelo realmente acessível a essa população e de alta qualidade. O empreendedor e dentista Orestes Maciel Câmara Freire venceu esse desafio ao criar a MultiOrto, que oferece serviços especializados em ortodontia com atendimento rápido e de baixo custo – capaz de atender em larga escala no Nordeste.
O impacto social desse negócio está associado ao fato de que, no Brasil, 35% da população precisa de tratamento ortodôntico, que é deficiente no SUS e tem um alto custo em clínicas convencionais. A falta de tratamento possibilita problemas como dores de cabeça, problemas respiratórios e baixa autoestima. A questão da saúde bucal é falha no país e o problema é ainda mais grave no Norte e Nordeste. Com o trabalho oferecido pela empresa, a população de baixa renda consegue ter acesso a exames e tratamentos odontológicos de baixo custo. A empresa foi criada em 2004 pelo dentista Orestes Maciel Câmara Freire e já conta com 20 clínicas em Pernambuco.

A ARTEMISIA é uma organização sem fins lucrativos, pioneira na disseminação e no fomento de negócios de impacto social no Brasil. A missão da organização é inspirar, capacitar e potencializar talentos e empreendedores para criar uma nova geração de negócios que rompam com os padrões precedentes e (re) signifiquem o verdadeiro papel que os negócios podem ter na construção de um país com iguais oportunidades para todos. Fundada em 2004 pela Potencia Ventures, a ARTEMISIA possui escritório em São Paulo. A ARTEMISIA foi a primeira organização do Brasil a fazer parte da Omidyar Foundation, a mais respeitada organização no setor de investimento de impacto, fundada por Pierre Omidyar, empreendedor do Ebay. Recentemente, a ARTEMISIA também foi anunciada como uma das cinco organizações selecionadas, entre 115 de toda a América Latina, pelo edital da Rockefeller Foundation, Avina, Avina Americas e Omidyar. www.artemisia.org.br