Artigo por Mariano Camara*

Cada vez mais as pessoas buscam ferramentas e mecanismos que facilitem o seu dia a dia. A tecnologia tem sido uma grande aliada para quem procura por serviços personalizados que ofereçam agilidade, eficiência, segurança, e mais, que façam com que cada um se sinta único. Por isso, empresas de produtos e serviços estão em constante processo de evolução tecnológica para atingir seu público alvo e não perder espaço no mercado.

Essa realidade não é diferente, por exemplo, no turismo. A maioria das agências de viagens, companhias aéreas e rede hoteleira sente uma carência de impactar diretamente o público com ofertas mais personalizadas, que saiam do roteiro comum. E então surge uma brecha para as novas empresas de tecnologia focadas nesse setor.

Ferramentas de busca customizada para produção de roteiros, reserva de quartos em hotéis e alojamentos baratos, dentre outras possibilidades oferecidas tanto na rede como por aplicativos de viagem, permitem mapear o perfil de seus usuários e suas preferências específicas. A montagem dessa base de dados pode responder a uma demanda qualificada, com grande potencial para auxiliar as redes de hotelaria, companhias aéreas e agências de viagem a sair do convencional e encontrar um novo perfil de viajantes, ao propor algo não óbvio dentro e fora do país.

Uma opção recente, que vem ao encontro dessa necessidade do mercado, é a disponibilidade de uma plataforma que permite ao viajante criar um diário de bordo na web com base em suas experiências vividas numa viagem. Ali ele recomenda hotéis, restaurantes, pontos turísticos e tudo mais que achar interessante daquela localidade. Esse manual é compartilhado nas redes sociais e viralizado.

Por meio de ações de marketing com empresas dispostas a criar esses destinos e passeios personalizados, é possível ainda rentabilizar o negócio com a geração de leads, à medida em que os usuários com interesses reais fechem os pacotes de viagens. O processo reduz o longo caminho que as empresas de turismo atualmente têm que trilhar até chegar a um cliente em potencial.

Recentemente, Antonio Azevedo, presidente da ABAV (Associação Brasileira de Agentes de Viagens), disse a uma importante publicação do setor que 2015 deve ser o ano da criatividade das agências de viagens, alegando que elas poderão perder espaço para as vendas diretas e correr sérios riscos. Fica então a dica para que todo o setor tire bom proveito das ferramentas oferecidas na internet, que visam atrair, conquistar e fidelizar um potencial público consumidor de viagens, ávidos por novidades e vivências únicas.

*Artigo por Mariano Camara, sócio-fundador de Whisgo

Imagem: perspective view of jet airliner in flight with bokeh background via Shutterstock