Muita gente realista achava que veríamos a torneira secar este ano. Especialmente para startups de tecnologia. No Brasil, já publicamos sobre 68 investimentos feitos em startups (veja nossa página), mas ainda há casos não confirmados e possivelmente podem haver mais casos ainda. O número se mantém parecido com 2013 e 2012, o que pode ser bom ou ruim (afinal, vemos mais e mais startups). A propósito, já respondeu nosso questionário do Reconhecimento a que mais contribuiu para as startups brasileiras em 2014? Pode responder até quarta-feira!

Mas sabemos que nossos negócios com tecnologia não acontecem restritamente dentro do Brasil: o mercado é permeável, muitos negócios são internacionais. Vamos dar uma olhada mais “para cima” desta cadeia.

A Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) pode ser tomada como um termômetro, não apenas do apetite dos investidores, mas também da economia ocidental. E o final do ano por lá está sendo marcado por empresas de tecnologia abrindo seu capital, fazendo ofertas públicas (IPO). Só nesta última semana, aconteceram 6 IPOs de empresas de tecnologia – proporção que não se via desde 2000, antes do estouro da Nasdaq (o pregão eletrônico).

Os que mais chamaram atenção foram os da Hortonworks (empresa de suporte a Hadoop de ex-engenheiros do Yahoo), que teve suas ações valorizadas 65%); da LendingClub (mercado em que pessoas podem emprestar dinheiro umas às outras) captou a maior quantidade (US 870 milhões) e a New Relic (que identifica problemas em software) e viu seu faturamento aumentar 79% no terceiro quadrimestre. Ainda abriram capital a Momo (app chinês parecido com Tinder), Connecture (software de distribuição de seguros de saúde) e Workiva (plataforma de software corporativo).

Semana que vem devem acontecer os últimos 6 IPOs do ano por lá – uma delas, de tecnologia: a OnDeck Capital (similar ao LendingClub). Sem contar o Ano Novo e o Dia da Independência, o ano teve no máximo 245 dias úteis até agora. Nesses 245 dias, 271 empresas já abriram seu capital nos Estados Unidos, levantando 84 bilhões de dólares.

Bem, não teve estouro da bolha este ano. E não é no mercado de capitais que o pessoal anda reclamando de valuation alto de startup. E assim chegamos ao final do ano, imaginando se 2015 vai ser melhor ou pior. Cheios de estratégias.

Foto de abertura: 227079028 de MiloVad via Shutterstock.