Matéria por Paula Rothman*

Até o final do ano, a comunidade de Heliópolis, em São Paulo, deve ganhar um centro de treinamento em mídias sociais.

Nele, jovens e comerciantes locais poderão fazer cursos para aprender a usar o Facebook como ferramentas de marketing para seus pequenos negócios – sejam eles padarias, lojas, lanchonetes ou aplicativos digitais.

O projeto é uma das iniciativas do Facebook para Empreendedores, programa apresentado hoje em São Paulo que irá ajudar estudantes, comunidades e desenvolvedores a conhecerem melhor a plataforma e impulsionarem seus negócios – sejam eles digitais ou não.

A ideia é oferecer cursos, eventos e descontos em serviços para empreendedoresque possuem páginas de seus negócios na rede social.

Segundo dados apresentados no evento, hoje, mais de dois milhões de pequenas empresas brasileiras estão presentes no Facebook e cerca de 80% dos brasileiros ativos na rede social, um total de 72 milhões de pessoas, estão conectados a uma dessas páginas.

No mundo, são 30 milhões de páginas de pequenas empresas, das quais apenas 1,5 milhão pagam para usar as ferramentas de promoção da rede social.

“As pessoas já sabem usar o Facebook. Nosso desafio é fazer com que aprendam a usá-lo para negócios”, disse o brasileiro Patrick Hruby, diretor de Pequenas Empresas do Facebook para América Latina.

“Teremos quatro vertentes com o programa no Brasil: comunidades, jovens, startups e orientação para negócios”.

A parte de comunidade é justamente a que está sendo criada em Heliópolis. O programa é inédito, e o Brasil é o primeiro país no mundo em que a rede social lança esse tipo de iniciativa.

O centro de treinamentos funcionará em parceria com a União de Núcleos, Associações dos Moradores de Heliópolis e Região (Unas).

Além dos cursos abertos, irá capacitar jovens para ensinarem comerciantes que não podem se ausentar dos negócios no horário das aulas.

“Vimos nessa parceria uma boa oportunidade de empoderamento da comunidade. A tecnologia exclui quem não está por dentro dela”, diz Antônia Alves, diretora da Unas.

“Dessa interação com os pequenos comerciantes também temos ideias de como melhorar as nossas próprias ferramentas”, diz Hruby.

“O dono de uma lanchonete na Rocinha [comunidade no Rio de Janeiro] nos disse que usava o chat do Facebook para anotar pedidos e fazer entregas. Passamos essa informação para o time de engenheiros no Vale do Silício”.

A ideia é que, se a iniciativa em Heliópolis der certo, outros centros sejam criados no Brasil.

Já a área de startups e orientação para negócios é parte do Facebook Start, programa criado nos Estados Unidos para empreendedores digitais.

Por aqui, uma das vertentes é uma parceria com o Sebrae que começou, há alguns meses, com o projeto Facebook na Estrada, uma caravana da rede social percorrendo 60 mil quilômetros pelo Brasil e visitando feiras de empreendedores.

A ideia é continuar essa presença em eventos e lançar, no ano que vem, um curso presencial de mídias digitais que será oferecido por todas as unidades do Sebrae.

Outra iniciativa na área de startups é voltada para os empreendedores digitais, em especial, os desenvolvedores de aplicativos.

O Facebook Brasil está convidando esses developers para eventos e criando grupos de discussão no próprio Facebook.

Além disso, um time local irá responder a dúvidas pessoalmente na sede da empresa ou remotamente, por Skype.

Qualquer startup interessada em receber apoio ou participar dos grupos pode se inscrever na página do Facebook Start em português.

Matéria por Paula Rothman, da INFO Online, publicação integrante do portal Exame.com, que mantém parceria oficial de conteúdo com o Startupi.