De uma startup fundada em Março de 2006 para uma gigante do mercado de redes sociais com mais de 270 milhões de usuários, Twitter dá seu primeiro passo em direção aos grandes provedores de serviços e soluções como Google.

Na última quarta (22/10) o Twitter promoveu em San Francisco a primeira conferência para desenvolvedores. Na oportunidade, estive presente em conjunto com outros brasileiros (alunos do curso de imersão do Appreendedor). Acompanhamos de perto os lançamentos da empresa com foco no desenvolvimento mobile.

twitter_flight_brasileiros

Seguindo o mesmo estilo dos grandes eventos para desenvolvedores (Google IO e Apple WWDC) o primeiro evento do Twitter não deixou nada a desejar, tanto na organização, quanto na apresentação dos seus novos produtos – algo já anunciado em função das inúmeras aquisições de startups que a empresa fez ao longo dos anos.

O engenheiro e evangelista Luis Cipriani funcionário do Twitter há quase 2 anos, diz que para a empresa é um passo importante pois todos veem o Twitter e os produtos da plataforma sempre focado na rede social, agora a empresa começou a lançar uma série de produtos voltados para o desenvolvimento de apps de qualidade, apoiando o desenvolvedor com ferramentas para a construção e crescimento do seu projeto.

Este tipo de mudança de estratégia pode parecer estranha mais já foi adotada por outras grandes, como por exemplo, a Amazon partindo de um e-comerce para a oferta de serviços de computação na nuvem (AWS) baseados internamente no que estava dando certo.

twitter_flight_conferencia
Dentre os vários recursos que compõem os kits presentes na plataforma Fabric, podemos destacar o Digits – funcionalidade inovadora que facilita a etapa de identificação do usuário –, tornando o processo de autenticação (login) mais simples e associado ao número telefonico do usuário. Sem a necessidade de recordar nomes de usuários, senhas ou compartilhar informações pessoais como email ou outro dado social, a funcionalidade se torna ainda mais atrativa aos desenvolvedores quanto ao modelo gratuito disponibilizado pela empresa.

Subsidiando custos como infra-estrutura de SMS, fica claro que o Twitter entra de forma agressiva em um novo mercado em busca da expansão da sua base de usuários. Para os grandes como: Google, FaceBook, Apple e Microsoft, uma preocupação a mais a ser avaliada. Para as startupis, uma plataforma que aborda alguns dos desafios mais comuns e conhecidos no mundo dos apps; estabilidade, distribuição, receita e identificação.

Me siga no twitter/deadrop para mais novidades do Vale do Silício que serão apresentadas no Startupi todas às quintas através da série Appreendedor.