Hoje dormiremos sabendo quem vai presidir o Brasil pelos próximos 4 anos. A polarização em torno dos dois candidatos que disputam hoje nas urnas o segundo turno envolveu inflação, crescimento , investimento, planejamento, corrupção, educação, desenvolvimento, trabalho e renda – temas que fazem pare do dia-a-dia das empresas e das preocupações de brasileiros em geral que se envolvem com inovação (público com o qual nos relacionamos).

A propósito, teremos uma iniciativa de educação para o crescimento daqui a alguns dias – confira.

Dias atrás, escrevi uma matéria sobre a natureza do poder, para debater a diferença entre um Poder Executivo e um poder de execução. Desta vez, convidei alguns alguns integrantes da comunidade de startups e empreendedorismo conhecidos no Brasil. A ideia é compartilhar o que eles pensam sobre a situação atual do Brasil para os empreendedores, o que eles acham que poderia ser diferente e para onde o país poderia se encaminhar.

Confira abaixo as opiniões sobre impostos, burocracia, educação, investimentos e intervenção.

Juliano Seabra, presidente da Endeavor

  • Um sistema de impostos que não puna o empreendedor que quer crescer. Criar regras de transição do Simples é crucial para isso!
  • A diminuição da burocracia em todos os processos que tiram o foco do empreendedor do essencial: vender, desenvolver produtos, engajar pessoas. Para isso precisamos de um Estado que seja parceiro, e não âncora.

A Endeavor é uma entidade de promoção da cultura empreendedora. Veja artigos da Endeavor no Startupi.

Guilherme Junqueira, diretor executivo da ABStartups

  • Desburocratização para micro e pequenas empresas;
  • Educação empreendedora desde o ensino fundamental.

Associação Brasileira de Startups é  uma organização para representação de empreendedores. Veja artigos da ABStartups no Startupi.

Juan Bernabó, fundador da Germinadora

  • Talvez seja a questão de reduzir o Governo. Em toda discussão fala-se em mais investimento em tal área, porém o que se deveria falar é que precisamos aumentar a eficiência dos investimentos que já são feitos. Eu nunca concebi a ideia de ter um administrador tão caro: ele não gera riqueza, só apropria a força daqueles que criam efetivamente riqueza e a redistribui. E não da forma robinhoodesca, já que, se formos ver, de fato, junto com um grande estado você tem grandes corporações amigas que recebem todo tipo de benefícios, por conta do desenvolvimento de um relacionamento meio que incestuoso;
  • E tem a questão de o governo parar de intervir no mercado, pois toda vez que o faz, inicialmente é como se ele estivesse salvando a pátria, porém em algum tempo essa intervenção acaba se transformando numa maldição. Estes são as linhas mestras do tipo de mudança que acredito precisamos.

A Germinadora é uma comunidade de desenvolvimento de empreendedores e projetos. Veja matérias sobre a Germinadora no Startupi.

A disputa é não apenas entre quem vai nos representar, mas entre as causas que essas pessoas vão defender e promover. E disso, inovadores e empreendedores entendem, praticam no dia-a-dia, intensamente. As pessoas que fazem o país não são apenas os governantes, são os que compartilham da nação diariamente, em todos seus sonhos, habilidades, feitos e imperfeitos. Boa sorte a nós todos, a cada dia, a cada ato!

Imagem de abertura: 225486052 via Shutterstock.