Entre os americanos, 52% do tempo gasto com mídia digital é nas Apps. A gigante Apple alcançou a marca histórica em vender 800 milhões de dispositivos com iOS e gerar 75 bilhões de downloads em Apps.

Mas, nem todos os números são favoráveis, segundo novo relatório da comScore, 64% dos americanos não baixam nenhum app em um mês.

Quer dizer que essa economia esfriou? Está em recessão? Impossível! De acordo com APPNATION a economia das Apps vai quase duplicar em 2017.

1

Então como explicar que, apesar de os consumidores não baixarem apps, a economia vai duplicar? O próprio relatório da comScore postula um monopólio. Segundo o relatório, as maiores marcas de mídia digital; especificamente, Facebook, Google, Apple, Yahoo, Amazon e eBay representam 9 dos 10 melhores aplicativos mais utilizados, 16 do top 25, e 24 do top 50.

Para mim está claro os fatores que contribuem para isso como: consumidores estão tão cativados em seus aplicativos favoritos como Facebook, WhatsApp, etc… que nem se dão ao trabalho de procurarem por mais apps. Outro fator é a quantidade absurda de aplicativos que não prestam; sem contar os problemas para encontrar se encontrar apps relevantes dentro das stores, principalmente no Google Play. Logo, os consumidores ficam presos aos que já conhecem e aos que todo mundo usa, já que às vezes baixar novos apps acaba sendo desperdício de tempo.

2

Lembrando das minhas aulas de economia, eu arrisco dizer que o mercado das apps caminha para uma concorrência monopolista que por definição é quando:

  1. Há um grande número de compradores e vendedores;
  2. Há livre entrada e saída de empresas;
  3. Cada empresa produz e vende um produto diferenciado, embora muito similar com os demais. Portanto, cada produtor procura diferenciar seu produto a fim de torná-lo único.

Nesse mercado, empresas com maior poder de convencimento tendem a reter mais clientes. As maiores empresas de mídia têm poder de convencimento imenso, portanto trazendo para si os maiores resultados.

Então, como conseguir atenção para o meu aplicativo quando o mercado não baixa mais aplicativos? Competir com os gigantes da mídia sem recursos é loucura, eu apostaria nos mercados de nicho. A famosa segmentação de mercado faz, por exemplo, um app sobre medicina ser, para um médico, tão relevante quanto o Facebook.

Entretanto, mesmo apostando nos mercados segmentados, ainda existe o problema do nicho encontrar o app, já que poucos baixam apps novas. Como resolver? Eu apostaria no marketing de guerrilha – se infiltrar em blogs especializados, eventos, grupos de discussão, etc. E, por fim, caminhando da premissa que sua app possui ótima usabilidade e encanta os clientes, apostar no poder do marketing de boca a boca, que tem enorme capacidade de geração de downloads dentro das fragmentadas App Stores.

Imagem: Mobile apps with hands, via Shutterstock