O site BuzzFeed recebeu investimento de US$ 50 milhões de dólares da Andreessen Horowitz, uma firma de venture capital do Vale do Silício. Segundo o New York Times, com esse dinheiro, o site agora vale aproximadamente US$ 850 milhões de dólares.

O site tem base em Nova York e origens de startup. Agora a empresa tem mais de uma grande empresa de mídia do que de internet. O co-fundador da empresa e CEO Jonah Peretti levantou a dúvida: “À medida que crescemos, como podemos manter a cultura empreendedora? Como seria se um estúdio de Hollywood ou uma organização jornalística funcionasse como uma startup?”, questiona.

O dinheiro deve ser usado para novas seções de conteúdo, a criação de uma incubadora do BuzzFeed e no BuzzFeed Motion Pictures, o braço de vídeos da empresa em Los Angeles. O objetivo é tentar o novo e rápido.

O BuzzFeed surgiu em 2006 para testar virais de internet. Mas recentemente a empresa tem variado com notícias e artigos e tem tentado casar suas famosas listas e testes com o conteúdo mais sério. A empresas tem hoje 550 empregados. O site tem edição americana, britânica, australiana, brasileira, francesa e em espanhol e presença forte em todas as redes sociais.

Chris Dixon, um dos sócios da Andreessen Horowitz, fará parte do conselho do BuzzFeed depois do investimento. “Consideramos o BuzzFeed uma empresa de tecnologia. Ele abraçam a cultura da internet. Tudo lá é otimizado para dispositivos móveis e canais sociais”, afirma o novo membro do conselho.

Apesar do investimento e do sucesso do site, o BuzzFeed também enfrenta o problema que todas as publicações enfrentam: a falta de receita. As propagandas online diminuem inclusive para o site conhecido pelas listas virais, ano a ano. A maioria dos sites têm investido em vídeos para mudar esse cenário e o BuzzFeed segue esse caminho.

A maior parte da receita da empresa vem do BuzzFeed Creative, uma unidade que cria vídeos no estilo das outras publicações do site para marcas. Peretti não anuncia os números da empresa, mas diz que se compararmos a primeira metade de 2013 e o mesmo período de 2014, o faturamento da empresa dobrou. Dixon, da Andreessen Horowitz, também está otimista com o lucro da empresa em 2014.

O plano do BuzzFeed também inclui abrir escritórios no Japão, México, Alemanha e Índia ainda este ano. A empresa também tem olhos em outras plataformas, como Tumblr e Instagram. Peretti diz que o plano é inédito. “Estamos nos organizando para sermos uma empresa de mídia do jeito que as pessoas consomem mídia hoje em dia”, afirma.