Nesse final de semana os mais de 100 funcionários da ClickBus terão muito o que comemorar. A empresa anunciou ontem duas boas e importantes notícias: o lançamento de uma nova versão do aplicativo e o aporte de US$ 10 milhões que receberam. Além disso, estão lançando o serviço na Turquia e no Paquistão. Eles também estão presentes no Brasil, Alemanha, México, Polônia e Tailândia.

A proposta da empresa é ser um marketplace para compra de passagens rodoviárias. Fazendo uma comparação um pouco mais grosseira, uma espécie de “Decolar.com” dos ônibus. Ele enfrentam alguns concorrentes diretos, como a BrasilByBus.

O mercado que eles miram é pouco explorado em muitos países. No Brasil, por exemplo, segundo eles, apenas 5% dos 120 milhões de passageiros compram passagens pela internet. O panorama começa a mudar, já que eles vendem aproximadamente 60 mil passagens por mês.

Nem parece, mas empresa está comemorando o seu primeiro ano de vida e, não muito tempo atrás, se chamava Busão – um nome que claramente demonstrava foco no mercado brasileiro.

Essa é a segunda rodada de investimento na startup. A primeira foi de US$ 2,5 milhões e foi feito pela Rocket Internet. Novamente, o grupo alemão participou do investimento, mas agora ao lado da Latin America Internet Group, Tengelmann Ventures e Holtzbrink Ventures.

“Usaremos o investimento de três maneiras: para desenvolvimento de produto, consolidação do mercado e aquisição de clientes”, nos explica Cesário Martins co-CEO e co-fundador da ClickBus.

Martins explica que o desenvolvimento de produto recebe uma atenção especial, personalizando o serviço e sua tecnologia para as necessidades específicas de cada país. Isso é uma das barreiras de entrada que a startup está criando. “A outra é a consolidação e reputação, frutos da criação de uma marca global”.

Uma das principais dificuldades que eles enfrentam é a integração com empresas de ônibus, já que nem todas têm suporte tecnológico para trabalhar com o serviço. “Fazemos a integração de três formas: com parceiros que nos conectam; direto com as empresas rodoviárias; ou ainda desenvolvendo a tecnologia necessária para que as companhias consigam se integrar conosco”, diz Martins.

Para a criação dessa marca, está sendo necessário globalizar rapidamente. No entanto, lançar o serviço em sete países diferentes não é uma tarefa simples. Martins explica que o estudo de globalização envolve uma série de métricas, que vão desde o mercado rodoviário local até a penetração de internet na região. Além disso também é necessário montar uma equipe local para cuidar da parceria com as empresas de ônibus.

Martins não revela quais são os países onde eles estão tendo o melhor desempenho e nem mesmo em qual posição estaria o Brasil em seu ranking interno. Com tanto investimento, eles veem um break even (momento onde a empresa começa a dar lucro) diferente para cada país – aqui, onde nasceram, pretendem chegar em 2 anos.

clickbus

O aplicativo

O app, lançado para Android e iOS, permite ao usuário não apenas comprar a passagem direto pelo celular, como também comparar o preço da viagem oferecida por diferentes empresas rodoviárias.

“Entre as novidades da nova versão, que apresenta design inteiramente novo, está o sistema de geolocalização, que possibilita ao usuário visualizar as rodoviárias mais próximas na região, os locais mais buscados além das pesquisas mais recentes realizadas. O app está totalmente focado na experiência do usuário facilitando todo o processo de compra de passagem rodoviária e arquivando as compras realizadas para consulta rápida”, diz comunicado da empresa.

Imagem: Two buses on highway in motion blur at sunset, via Shutterstock