bar_publieditorial

 

Bradesco lançou o programa InovaBra, voltado a descobrir projetos inovadores de startups que já operam no setor de produtos e serviços financeiros e que possam criar novas soluções para o Banco. A proposta é que as empresas estejam preparadas para apresentar inovações nas seguintes áreas: meios de pagamento, canais digitais, produtos, seguros e Banco do Futuro, que engloba iniciativas que possam ser adotadas nos próximos anos por qualquer área do Banco.

“Já estamos pensando no que oferecer para a próxima geração bancária”, comenta Maurício Minas, diretor vice-presidente do Bradesco. “Este é um projeto onde todos ganham: o cliente Bradesco, que tem acesso a produtos e serviços inovadores; o Banco, que mantém sua tradição e pioneirismo, criando um novo canal para gerar inovação; e as startups, que têm a oportunidade de alavancar seus negócios em parceria com um grande apoiador”, complementa Minas.


A iniciativa, segundo o executivo, é uma grande oportunidade para as startups ganharem visibilidade no mercado e iniciarem um trabalho com base em demandas reais. “O grande diferencial do nosso programa é a inovação no modelo de negócio, pois as empresas irão trabalhar com base em necessidades reais apontadas pelas unidades de negócio do Banco, diluindo o risco da inovação. Além disso, vão contar com conselhos e orientações dos principais executivos da instituição, acesso aos principais colaboradores das unidades de negócio – com objetivo de moldar a solução para uma grande instituição financeira -, assistência na gestão e mentoria. E poderão finalmente testar a solução apresentada em um dos maiores bancos do País”, explica o executivo.

As startups são empresas em estágio inicial e intermediário de atuação e que contam com projetos promissores, com base em ideias inovadoras. “Atualmente o acesso a tecnologias para gerar inovação está ao alcance de todos. Por isso resolvemos apostar em mesclar o nosso processo fechado de inovação com um processo aberto, que nos permite buscar, apoiar e apostar em boas ideias. Nosso objetivo é criar um canal de interação com empresas que estão na fronteira da criação, possuem agilidade para se adaptarem aos novos desafios propostos, mas precisam do apoio para uma boa gestão de seu negócio”, explica o diretor vice-presidente do Bradesco.
porqueparticipar

InovaBra

O programa terá duração total de 10 meses, sendo quatro meses destinados ao processo seletivo e seis meses para o processo de interação com o Banco, incluindo melhorias na gestão, busca de sinergia estratégica, operacional e mercadológica.

A primeira fase é composta por três etapas:

  • Primeira: divulgação do programa e inscrição das empresas até 17 de outubro de 2014;
  • Segunda: seleção de até 40 startups, por meio de avaliação do questionário preenchido pelas empresas durante a inscrição. Essas empresas irão passar por um processo de imersão para conhecer o banco e serão avaliadas nos seguintes quesitos: potencial de mercado, aplicabilidade, condições de concorrência, capacidade de entrega, mensuração de riscos e capacidade técnica;
  • Terceira: serão selecionadas 20 startups que passarão por avaliação de um grupo de executivos do Banco.

Cerca de 10 empresas seguirão para a fase de gestão do projeto, na qual receberão orientação com relação a uma demanda associada a uma necessidade real do Banco. Consequentemente, terão apoio no desenvolvimento do produto ou serviço e adaptação da solução ao ambiente do Bradesco.

Ao final do programa, as empresas que concluírem com sucesso a formatação de suas soluções terão a possibilidade de comercializar seus produtos para o Bradesco. O Banco poderá ainda investir nas empresas por meio de seu Fundo de Participações (FIP).

Inscrições:

  • Até 17 de outubro de 2014;
  • pelo site www.inovabra.com.br
  • Quem pode participar: Startups operacionais localizadas no território nacional e que tenham ao menos um produto ou serviço beta relacionado às atividades das empresas/áreas do Grupo Bradesco participantes.