A ComGru foi fundada em São Carlos, em 2010, focada em compra coletiva. Hoje, a empresa está voltada para o conceito de social commerce e delivery social, um modelo que funciona por meio de um sistema de rastreamento via georreferenciamento: o módulo de delivery social da ComGru consegue dizer exatamente a localização do pedido e quanto tempo irá demorar para ser entregue.

Ao longo desses quatro anos, a ComGru teve mais de 4 milhões de visualizações de páginas e em 2013, alcançou um faturamento de R$  400 mil. Além do bom desempenho, a empresa foi selecionada pelo Start-Up Brasil.

Veja abaixo entrevista com o CEO da empresa, Eduardo Martucci.

Qual é o foco da empresa hoje?

Criei o ComGru em 2010 em São Carlos e foi um empreendimento inovador para o interior paulista. Conseguimos trazer o modelo de compras coletivas para a região, que até então estava disponível apenas nas capitais.

De lá para cá, passamos por duas pivotagens: a primeira, transformando o ComGru em uma plataforma de social commerce com objetivo de fornecer aos consumidores conteúdos relevantes e informações de apoio à decisão de compra através da interatividade entre usuários com recomendações e troca de opiniões.

A segunda, neste ano, com o lançamento do módulo de rastreamento de delivery em tempo real, trazendo um novo conceito para o mercado brasileiro chamado de Delivery Social.

Vocês já estão presentes em quantas cidades?


Quando trabalhávamos apenas com compras coletivas, atendemos as cidades de São Carlos, Araraquara, Joinville e Balneário Camboriú. Também tivemos ofertas nacionais que alcançaram pessoas do Brasil inteiro. Agora, estamos em fase de expansão. Acabamos de franquear nosso modelo de negócio pela ABF e nossa meta é estar com o Delivery Social implantado em 50 cidades até o fim de 2015. Para este ano, estamos implantando o ComGru nas cidades de São Carlos, Araraquara e Ribeirão Preto.

Vocês receberam algum aporte?


Ainda não. Todos os investimentos foram realizados através de recursos próprios.

Hoje a empresa tem quantos clientes?


O ComGru tem três tipos de clientes: as empresas parceiras, que assinam nossos planos de serviços, os consumidores finais, que compram nossas ofertas, utilizam nosso guia comercial, acompanham seus pedidos pelo Delivery Social, etc., e os franqueados. Temos 200 mil consumidores cadastrados, atendemos mais de 800 empresas e possuímos dois franqueados, além das negociações com os demais interessados.

Vocês já tem aceleradora no Start-Up Brasil?

Ainda não. Acabamos de inscrever nosso projeto novamente e, devido ao nosso faturamento, pretendemos ser acelerados pela Acelera Brasil, Wayra ou 21212, respectivamente.

Por que é interessante para vocês, uma empresa que já está consolidada e já tem clientes e faturamento, participar de um programa como o Start-Up Brasil?


Com a captação de recursos vamos aperfeiçoar nossa plataforma de Social Commerce e expandir o novo modelo de negócio em 50 cidades. Nosso modelo é extremamente escalável, mas precisamos de investimentos para divulgar, expandir e aperfeiçoar a plataforma.

Onde vocês pretendem levar o ComGru na aceleração?


Nossa meta é implantar o Delivery Social em 50 cidades até o final de 2015. 
Iremos trabalhar inicialmente em três mercados modelo: São Carlos, Ribeirão Preto e em seguida, São Paulo.