Há diversos tipos de empresas de consultoria que prometem otimizar seus resultados na internet. Algumas focam em melhorar o posicionamento de sua empresa no Google; outras em otimizar as vendas; outras em criar boas campanhas para as redes sociais; etc. A SuperSonic se propõe a converter visitantes em clientes e em engajá-los para voltar sempre à sua página.

O conceito, que fez eles classificarem a empresa como uma “aceleradora de conversão” é inédito no Brasil, segundo os fundadores da Supersonic. Conversão, neste caso, é basicamente reter visitantes e/ou leitores de seu site.

“Você até vê algumas pessoas fazendo de forma isolada, como complemento a outro serviço ou coisa do tipo. Mas fazer um trabalho 100% focado na conversão é algo que ainda não havíamos encontrado por aqui. E por isso decidimos abrir a empresa em novembro do ano passado”, nos conta Filipe Reis, co-fundador da empresa ao lado de Rafael Damasceno.

Atualmente eles trabalham com três modelos diferentes. O cliente pode pedir uma auditoria sobre seu site, onde eles realizam estudos sobre o cliente para depois sugerir algumas dicas onde ele pode atuar para aumentar a conversão dos visitantes; ou então fazer estudos de conversão para já lançar uma página específica da forma mais eficiente possível; ou ainda acompanhar o cliente por seis meses, oferecendo um acompanhamento minucioso para depois promover testes e verificar qual é a forma mais eficaz de trabalhar com o cliente.

metodologia

Nada disso funciona como garantia de que o cliente terá X% de aumento na conversão. “Eticamente até seria um problema garantir qualquer tipo de resultado exato, porque você não controla todas as variáveis possíveis. Seria como garantir o primeiro lugar de buscas orgânicas no Google. No entanto, nunca tivemos um projeto em que deixamos de aumentar a conversão”, ressalta Damasceno.

Por isso mesmo, a SuperSonic se propõe a trabalhar com o que eles chamam de “metodologia científica” que nada mais é do que a validação das ideias geradas durante o processo de estudo do cliente. Após a aplicação das metodologias eles podem oferecer propostas mais embasadas para serem testadas por softwares e reduzir ao máximo o achismo.

“Eu não diria que os testes são a principal etapa de nosso trabalho. Talvez ele chame mais a atenção porque é a parte mais mão na massa. Mas é interessante notar que, enquanto o pessoal normalmente já começa na etapa de teste, para nós essa é uma das últimas etapas. Depois de uma extensa pesquisa, nós vamos aos testes com propostas mais assertivas do que as que normalmente são feitas quando alguém começa pelos testes”, explica Damasceno.

Esse trabalho, segundo eles, tem dado bastante resultados. E os resultados são justamente a arma utilizada pela dupla para vender seu negócio. “Na hora de vender nosso serviço, nós não focamos na parte técnica, vamos direto aos resultados, que é o que interessa aos clientes”, diz Reis. Segundo ele, esse processo de evangelizar clientes e mostrar a importância da conversão tem sido “até mais fácil do que imaginávamos”.

No momento a empresa realmente está crescendo. Já contrataram mais um consultor, um gestor financeiro e estão com o processo seletivo aberto para contratar mais consultor. No entanto, segundo eles, as contratações são uma etapa difícil, já que eles procuram pessoas versáteis e com um nível de conhecimento muito alto. Tal rigor já levou a SuperSonic a assinar contrato com PMEs, startups e bancos.