O instituto de pesquisa sueco UBI Index divulga anualmente um ranking com as 25 melhores incubadoras do mundo. Este ano, pela primeira vez, uma brasileira entrou na lista. O Instituto Gênesis, da PUC-Rio, ganhou a nona posição do Global Top 25 que analisa mais de 60 indicadores de desempenho das incubadoras, incluindo crescimento e impacto na região onde atua.

O UBI nomeia incubadoras em duas categorias, as de universidades e as ligadas a universidades (afiliadas). O Instituto Gênesis está na primeira categoria. Em primeiro lugar na lista está a Rice Alliance for Technology and Entrepreneurship, da Rice University, nos Estados Unidos.

José Aranha, diretor do Instituto Gênesis, destaca a menção na lista. “A importância é mais pelo reconhecimento. A gente tem 18 anos de incubadora e conseguimos alguns resultados que achamos importante até para o país. As empresas que já incubamos, por exemplo, que já estão no mercado e nasceram aqui faturam mais um bilhão de reais por ano. É um número relevante mesmo se analisado internacionalmente”, diz Aranha.

O diretor aponta que hoje no mundo existem cerca de oito mil incubadoras. Destas, 800 foram selecionadas para a competição, 300 foram finalistas e dessas, 25 entram na lista de melhores. A UBI Index é sediada em Estocolmo, na Suécia, e é uma referência de análise de desempenho de incubadoras e classifica as incubadoras a partir de valor para o ecossistema, valor para o cliente (startups) e atratividade do programa de incubação.

Segundo Dhruv Bhatli, cofundador da UBI Index, o Instituto Gênesis ganhou a nona posição no ranking por ser uma incubadora excepcional, principalmente nos requisitos desenvolvimento econômico e acesso aos indicadores de fundos. “Isso significa que os clientes (startups) do Instituto Gênesis têm melhor acesso aos fundos e geram alto impacto econômico para seu ecossistema. Além disso, os clientes do instituto têm uma sobrevida maior, com taxa de crescimento e desempenho muito melhor do que a média global”, explica.

O Instituto nunca havia participado da competição antes. Aranha aponta que a Gênesis é um destaque no Brasil e no mundo, mas destaca alguns pontos fracos. “A diferença entre esses nove é muito sutil, mas onde a gente não foi muito forte é no apoio de capital. Nos Estados Unidos [com quatro incubadoras no ranking de 25], o potencial de capitalizar a empresa é muito grande e nós estamos começando com isso agora. Na China [com três incubadoras no ranking de 25], as incubadoras são muito grandes. Eles observam o impacto da incubadora na região. Incubadora com índice de empregabilidade altos como as chinesas se destacam. Como estamos muito ligado a tecnologia, não geramos um impacto de empregabilidade muito alto. Porém, na parte de networking fomos muito fortes. Talvez até mais fortes que a concorrência. Temos uma boa rede de apoio para as empresas com contato com ex-incubadas, governo e ex-alunos daqui”, afirma o diretor.

Aranha destaca no Brasil  também a incubadora Porto Digital e afirma que a incubadora pode aparecer na lista de categoria de incubadoras afiliadas a universidades. Vamos ficar de olho.

Veja abaixo a lista completa das 25 melhores incubadoras do mundo no ranking: