Com seis meses de aceleração no SEED, em Minas Gerais, a Cabe na Mala mantém o modelo original, de encomendas, mas chega com novidades. A empresa agora mostra o preço dos produtos pedidos no Buscapé e na Amazon e caso o cliente efetue a compra, as sócias-fundadoras Marcela Kashiwagi e Ana Paula Lessa ganham uma comissão.

O caso é interessante para o empreendedor ver que pode e deve estar aberto a novas possibilidades dentro do seu modelo, mesmo que consolidado. Marcela diz que a novidade atraiu mais os clientes. “Os usuários passam mais tempo no site e eles conseguem ver onde é mais vantajoso comprar”, conta.

A empreendedora também afirma que a novidade fez com que o site aumentasse as vendas. Sempre bem vindo. Apesar da novidade estar no ar há apenas um mês, elas já sentiram uma mudança. “A gente percebeu um aumento de 30% nas nossas vendas e, consequentemente, um aumento do nosso faturamento”, afirma.

A ideia da novidade surgiu em conjunto, das sócias e o mentor delas, Edson Mackeenzy, fundador do Videolog, mas Marcela afirma que mais coisas estão por vir. “A gente pensa em outras coisas. Vamos criar uma ferramenta também para o varejista, para que ele possa comparar os preços de seus produtos no mundo inteiro”, diz.

A ideia é que a ferramenta fique no site, mas seja cobrada e exclusiva para varejistas compararem preços. A Cabe na Mala foi a startup que terminou em primeiro lugar no ranking do SEED. Coincidência?