Dizem por aí que tem startup para tudo. Uma que quer democratizar a arte não seria surpresa, então. A DemocrArt foi criada em 2010 e é o primeiro e maior e-commerce de obras de arte, segundo seu fundador Bruno Rampazzo. Completamente online e com cerca de cinco mil visitantes únicos por dia, a empresa também opera nos Estados Unidos desde 2013 e este ano pretende expandir operações na América Latina.

Apesar de Rampazzo nomear a DemocrArt o maior e-commerce de obras de arte do Brasil, ele também responde rapidamente que não abre números de vendas mensais, nem de faturamento de 2013. Porém, a empresa afirma que quer chegar aos R$ 3,5 milhões de faturamento em 2014 com seu crescimento, que foi de 100% desde seu lançamento. Hoje a principal concorrente da empresa no Brasil é a Nail on Wall.

Um dos atrativos da DemocrArt é aceitar o pagamento em cartão em várias prestações. Isso logo chamou a atenção dos clientes que podem dividir as obras em até 12 prestações. Veja abaixo a conversa que tivemos com o fundador da empresa, Bruno Rampazzo, na qual ele fala do diferencial e das metas da DemocrArt.

Quando vocês começaram a aceitar o pagamento em várias vezes?

Começamos em 2011 e hoje essa forma de pagamento representa 80% das nossas vendas.

Existem outros sites que fazem e-commerce de arte, qual o diferencial da DemocrArt?

Nosso maior diferencial é o objetivo de oferecer arte acessível, e a maior prova disso é ser a única galeria de arte (online e offline) a oferecer a opção de parcelamento em 12 vezes. Em breve vamos disponibilizar a opção de parcelar em até 36 vezes.

Quem realiza a curadoria das obras que aparecem no site?

Hoje a curadoria é feita por um conselho da DemocrArt, mas este ano estamos lançando algumas coleções especiais com curadores do mercado de arte.

O site é composto apenas de cópias ou possui obras originais?

Disponibilizamos para venda obras originais dos nossos artistas parceiros. A categoria de obras múltiplas é o verdadeiro conceito da DemocrArt, onde tornamos possível que uma obra de R$ 40 mil seja adquirida por R$ 2 mil, por exemplo. Isso é possível através da técnica Gicleé utilizada na obras, que consiste na mais alta qualidade e precisão de digitalização e impressão no mercado de arte, adotada por museus em vários países do mundo.

Qual é o preço médio das obras?

De R$ 490 a R$ 3 mil para giclées, obras originais chegam a R$ 80 mil.

Quais são as metas da DemocrArt para 2014?

A expectativa é de faturar R$3,5 milhões e contar com 250 artistas.