O estudo “Inovação aberta no setor financeiro – Por que e como agir” mostra como os bancos e os provedores de serviços financeiros podem integrar a inovação com sua estratégia, além de apontar que uma grande vantagem competitiva desse tipo de empresa é ouvir os clientes.

A pesquisa foi publicada pelo Grupo GFT, fornecedor global de soluções e serviços de Tecnologia da Informação (TI) para o setor financeiro e mostra como essas empresas podem integrar a inovação com sua estratégia. O estudo aponta que os bancos têm maior vantagem competitiva quando escutam os clientes e levam adiante suas ideias.

O impulso para a mudança gerada pela inovação aberta não se produz somente dentro da organização, mas também no exterior dela. Os parceiros externos, como fornecedores ou clientes, trazem uma nova visão para a inovação. Suas ideias não estão limitadas à organização em si, eles também tem a facilidade de se encontrar mais próximos do cliente final.

Os exemplos que se apresentam no estudo para ter êxito no modelo de inovação aberta mostram que as aplicabilidades desta metodologia são variadas. Estas vão desde o Crowdsourcing, modelo no qual os consumidores estão envolvidos no desenvolvimento de produtos e serviços, até o Corporate Venturing, método em que as empresas investem em startups. As empresas que estão planejando implementar uma metodologia de inovação aberta devem observar que o método adotado tem de ser alinhado com a estratégia de negócios. Além disso, para se beneficiar de inovação aberta, é essencial ouvir e integrar ideias que vêm de fora da organização.

O estudo completo (em inglês) pode ser acessado aqui.

Oportunidades

Alguns pontos foram levantados como oportunidade para serviços financeiros, como análise extensa e detalhada de big data, que além de oferecer relatórios para os clientes, também ofereceria ferramentas para que os próprios clientes escolham como analisar seus dados e com segurança.

Outra ideia sugerida pelo estudo é oferecer serviços financeiros para a sustentabilidade. O estudo explica que o sucesso da sustentabilidade requer anos para mostrar-se vantajoso. Investir e encontrar maneiras de facilitar o financiamento desses projetos é um projeto de longo prazo, mas que obviamente trará vantagens. Uma ideia sustentável levantada é a da nova tendência das pessoas alugarem bens que antes elas comprariam para fazer um uso pontual (carro é o exemplo citado). Além de alugar o veículo em si, cada vez mais soluções de caronas coletivas tomam conta das grandes cidades. A ideia é que as grandes corporações (como bancos) e as menores entendam que não só é imporante financiar esses projetos, como extremamente vantajoso.

Uma terceira oportunidade levantada pelo estudo é o foco em mobilidade. Smartphones podem dar acessibilidade de 24 horas aos clientes, então é preciso focar em pagamentos via smartphone além de uma otimização na comunicação com o cliente.

O estudo também aponta uma vantagem na parceria com startups e mostra que esse tipo de acordo pode otimizar a aproximação com o cliente de maneira tecnológica.