Após a Prefeitura de São Paulo lançar o Laboratório de Mobilidade, que vai pagar para desenvolvedores apresentarem soluções para o trânsito de São Paulo, o SPTrans agora também anuncia que deve fazer uma reunião aberta com startups no dia 10 de abril para mostrar como vai funcionar o laboratório aberto de mobilidade e na possível relação com essas empresas iniciantes.

As startups selecionadas para participar dessa parceria terão acesso a espaço de trabalho, sala de reuniões, espaço em nuvem, equipamentos utilizados no transporte (semáforos, radares, AVLs, validadores, etc.) e também aos diversos tipos de celulares disponíveis no mercado para testar se novos aplicativos funcionam nos diferentes formatos de celular.

Toda a infra-estrutura física e informacional será compartilhada entre os técnicos do setor público, as startups e os pesquisadores.

Os desenvolvedores devem trabalhar em projetos do próprio laboratório e vão receber bolsas da prefeitura que irão de R$ 351,90 a R$ 5.908,80. Os recursos serão gerenciados pela Fundação USP.

A SPTrans ainda vai divulgar detalhes do trabalho das startups, mas a princípio elas não devem receber nenhum tipo de bolsa e contarão apenas com a infra-estrutura.