Um dos principais recursos para conseguir popularizar determinado aplicativo são os reviews que ele recebe. Quanto mais usuários avaliando, mais chances ele tem de se destacar nas lojas e subir nos rankings de download. E é nesse meio-campo que a AppUpper quer atuar. A startup quer construir uma base de testers dispostos a escrever avaliações sobre aplicativos de terceiros, e ajudá-los a encontrar os bugs em tais apps.

Para cada review que o tester fizer, ele ganha US$ 1; para cada bug que encontrar, mais US$ 10. Sim, apesar dos valores em dólares e do site em inglês, a startup é brasileira. A equipe da AppUpper, por enquanto, é composta apenas pelos co-fundadores Marcos Lavorato (que atua em marketing para projetos online) e Sacha Leite, analista de produtos no segmento de e-commerce e internet. Por enquanto, eles tem trabalhado em bootstrapping, e agora procuram investimentos externos e aceleração.

“Temos uma base espontânea de usuários cadastrados, a maioria com o hábito de conhecer tecnologia e experimentar apps, que faz a avaliação e os testes dos aplicativos no conceito de ‘ crowd’. Nós simples e imparcialmente indicamos o caminho do app a ser analisado ao grupo (de tamanho contratado pela empresa), na data combinada. A garantia de qualidade deve vir do próprio desenvolvedor, logo, um app ruim terá avaliações ruins, mas um app bom poderá se beneficiar das notas e revisões boas”, explica Lavorato.

Este conceito que eles apostam vai no movimento de ASO (App Store Optimization), uma espécie de SEO para aplicativos. No último mês, apresentamos a Eyso, outra startup que trabalha nesta área. Mas, ambos os serviços são complementares, não concorrentes.

Enquanto a Eyso se concentra em técnicas e em uma plataforma para ajudar a melhorar o rankeamento de um aplicativo, a AppUpper aposta nas opiniões dos usuários. “A combinação de downloads e avaliações faz com que o app seja melhor destacado, resultando em mais downloads orgânicos e gerando uma reação em cadeia de popularização”, explica Lavorato.

Segundo Lavorato, na próxima semana eles já chegarão a uma base de mil usuários cadastrados. Eles ainda estão fazendo testes pilotos com os aplicativos da Índia e, em breve, começarão a fazer testes com serviços dos EUA e Itália também.