Esta manhã, esteve no escritório da Qualcomm em São Paulo o Vice Presidente Sênior de Investimentos e Inovação, Nagraj Kashyap. Indiano sediado em Miami, Nagraj veio falar sobre a área de investimentos Qualcomm Ventures, que tem Carlos Kokron como diretor para a América Latina, e sobre a quarta edição da competição QPrize.

O site da competição está fora do ar hoje disponível em qprize.com e as inscrições estão abertas até 18 de abril – eles estão indicando os emails [email protected] e [email protected] para quem quiser tirar dúvidas e enviar seus projetos. O vencedor ganhará US$ 150 mil em investimento conversível em ações (significa que dá o direito à Qualcomm se tornar sócia da empresa, caso queira). Sete startups, chamados de vencedores regionais, ganharão US$ 100 mil. Todos participarão de eventos regionais, onde terão visibilidade perante a imprensa, o mercado e investidores. A final global vai ser em San Francisco, em um evento da Bloomberg, apenas para convidados.

Podem concorrer startups que tenham recebido menos de US$ 2 milhões de investimentos (ou mesmo nenhum investimento) e produzam aplicativos voltados ao consumidor, software corporativo, plataformas, tecnologias para a saúde ou outros – e terão mais chance aqueles que, de alguma forma, endereçarem a evolução do uso de dispositivos móveis como tablets e smartphones.

No Brasil, a Qualcomm já investiu na 99Taxis, Emprego Ligado e Zoop. A expectativa é de que nas próximas semanas anunciem mais um investimento. No mundo, a Qualcomm já investiu em dezenas de empresas, em diferentes áreas de atuação, e diversas delas receberam investimentos posteriores, de outros investidores, outras foram vendidas (adquiridas por compradores estratégicos do mercado) e algumas até abriram capital em bolsa de valores (IPO). Veja gráficos abaixo e assista ao vídeo para ver detalhes.

Assista a uma entrevista exclusiva em que Nagraj fala sobre a importância do co-fundador técnico em uma startup (especialmente as que querem se relacionar com a Qualcomm, que é uma empresa findamentalmente orientada a engenharia). Ele também menciona dois casos de empresas investidas – e depois vendidas, o que indica sucesso – que foram fundadas por mulheres.