“Iremos trazer à tona o lado pessoal”, é a missão que Fellipe Bazilio, 24, Rafael Chaves, 31 e Wagner Andrade, 33, (foto) trouxeram com sua plataforma Biz.u para conectar empresas e profissionais. A startup carioca nasceu em maio de 2013, durante um curso da aceleradora PIPA e é uma das selecionadas do Startup Rio.

“Ganhamos como melhor projeto no final do curso, eleito pela banca da PIPA e, como prêmio, fomos inscritos em um curso de validação de modelo de negócios, chamado LSM (Lean Startup Machine), realizado pela SuperNova Labs, de São Paulo. Depois disso, entendemos que era o momento de levar à frente o projeto e entrar de cabeça, dada a enorme aceitação e validação do nosso modelo”, conta Bazilio sobre o primeiro passo da empresa.

O nome Biz.u, vem da gíria militar que sugere dica. O “u”destacado simboliza o indivíduo, diz o empreendedor. “Também representa a abreviação de ‘business you’, onde reforçamos os conceitos de humanização do processo seletivo e valorização de cada pessoa com um ser único, individual e gestor de si próprio”, explica.

A ideia da startup é conectar empresas e pessoas com o mesmo objetivo e eles dizem que não conhecem nenhuma outra empresa que esteja nessa linha de pensamento. “Não vemos nenhuma outra plataforma preocupada em conectar pessoas a empresas, e sim, currículos a empresas. Sabemos a importância do lado técnico e não iremos deixá-lo de fora. Mas entendemos que as pessoas são muito mais do que consta nas suas experiências profissionais e educacionais. Elas carregam vivências e experiências de vida que as fazem quem elas realmente são”, diz Bazilio.

“Grande parte das frustrações vividas pelos brasileiros está na decepção ao ingressar numa nova empresa, onde não é possível visualizar de verdade o que é na pratica. E o mesmo ocorre ao contrário. Muitas demissões acontecem de forma rápida, pois as empresas contratam pessoas desalinhadas. Vamos dar essa visibilidade às empresas que desejam se mostrar de forma transparente, a fim de recrutar pessoas alinhadas aos seus valores, essência, identidade e propósito”, adiciona.

A Biz.u for erguida com investimento próprio. O Startup Rio é o primeiro processo de aceleração para a qual a startup se inscreveu –ele se disseram impressionados com a mentoria que seria oferecida no programa. O próprio Startup Rio (que também envolve investimento) já propiciou a construção da plataforma no primeiro momento da empresa.

A startup já possui página no Facebook e landing page na qual recebe cadastros de interessados no serviço. Milhares de usuários já se cadastraram. Os empreendedores dizem que a plataforma fica pronta em breve (porém não dão datas), mas afirmam que já trabalham a ferramenta a partir do feedback sobre empregos dos usuários já cadastrados.

A Biz.u pretende ser gratuito para usuários e pago para empresas, mas os empreendedores dizem que o modelo de negócios será co-criado de fato no Startup Rio. “Realmente vimos que ali [Startup Rio] será um pólo de projetos inovadores, e não por estarem necessariamente ligados à tecnologia. Já estamos em contato com os selecionados através de um grupo no Facebook e essa troca no dia-a-dia com certeza será riquíssima!”, resume animadamente.

Os próximos passos da Biz.u são colocar a plataforma no ar em fase beta, testar a metodologia e validar as premissas. “Passado isso, começaremos a colocar em prática outras vertentes do projeto, como a consultoria, além do nosso braço de empreendedorismo. E, naturalmente, prospectar investidores que estejam alinhados ao nosso propósito”, aposta Bazili.