“Os óculos são uma peça de estilo que define muito sua identidade”, é assim que Raphael Neves define seu negócio, a marca de óculos com foco em venda online Livo. Depois da eÓtica, a primeira ótica online do Brasil (mas multimarcas) e antes da Lema21 (que começou a operar em 2013), também marca própria, a Livo chega no novo mercado trazida por Neves, Arthur Blaj e Guilherme Freire.

Baseada em São Paulo, a empresa entrou no ar no fim de 2012 e não divulgam o número de vendas, mas Neves afirma que de janeiro de 2013 até dezembro eles tiveram um crescimento de 470%. Hoje a Livo conta também com uma loja pop-up em São Paulo. Segundo o empreendedor, a operação da loja física vai de janeiro a março e eles têm a meta de vender mais de R$ 300 mil no período.

E o que difere a Livo da Lema21 ou da americana Warby Parker, loja online de óculos de grande sucesso? Segundo Neves, a principal diferença é o posicionamento da marca. “A Warby Parker foi a primeira empresa que trouxe esse modelo de negócio e virou o exemplo máximo. Mas mesmo assim, há uma diferença deles para nós de posicionamento. O mesmo acontece com a Lema21, que tem o mesmo modelo que a gente. Já a eÓtica é outra coisa, pois eles comercializam marcas já estabelecidas”, explica Neves.

A Livo se ergueu com bootstrapping e começou a ser estruturada em 2011 ainda. A loja pop-up é um misto de teste e divulgação. “A gente é uma marca online, que nasceu online, mas podemos sempre oferecer modelos inovadores de negócio”, afirma Neves.

O sócio-fundador conta também quais são os próximos passos da empresa: “Nosso principal desafio desse ano é consolidar a Livo como uma marca de óculos bem posicionada no mercado. O importante é trazer produtos interessantes e formas inovadoras de comprar os óculos e expandir o Livo Até Você [serviço que dá a possibilidade de experimentar os óculos em casa, também oferecido pela Lema21] para outras capitais”, diz.