No 2˚Demo Day da Aceleratech, que acumula mais de 100 mentores para as startups que acelera, um dos mentores escolhidos para ser homenageado foi Leonardo Naressi. Ao lado de Francisco Barguil (leia entrevista) e Artur Regen, os três foram selecionados como melhores mentores.

Numa entrevista após o evento, Naressi fala mais das startups selecionadas e do processo de mentoria. Veja:

Porque você acha que foi escolhido como um dos mentores destaques do programa?

Talvez porque eu tenha passado mais tempo com eles do que esperava. Na primeira edição, foi fazer um workshop e mostrar a importância da minha área de trabalho. Dessa vez, a gente reformulou e pensamos “não adianta só apresentar, eles têm que praticar. Eu vou ter que dar algumas dicas e recomendações e eles seguirem isso depois. Eu vou ter que voltar”. Então o que era para ser uma ou duas horas virou uma apresentação, depois teve outra conversa e com algumas fizemos tête-à-tête, “testa isso” e “deixa eu te ajudar naquilo”, para que realmente eles entendessem. Porque o tema da minha mentoria é um tema muito árduo, é analytics, estatística e métrica. É muito negócio e não tem muito o que se aprender sobre isso.

O que você achou do nível geral das empresas do pitch de hoje?

Achei que estão num nível muito, mas muito bom e o que eu mais achei impressionante foi o quanto elas mudaram ao longo do processo. Algumas já tinham um posicionamento claro e eu sabia que eram vencedoras desde o começo da ideia, como a Eventick e a Motonow, porque você pensava, “cara, isso vai dar certo e como ninguém pensou nisso antes?” e tem uma equipe boa fazendo. Algumas outras tiveram que repensar, “mas poxa, isso encalha aqui ou isso para ali”, como Adlayer, Kaplen, até a Timobox que eu acompanhei lá atrás. Eles (Timobox) tinham uma ideia completamente diferente, era a personalização de produtos infantis e afins. Mas depois da mentoria, eles viram os potenciais de mercado e isso acabou ajudando realmente a eles virarem uma coisa que despontou. Então para mim algumas ideias já nascem pré-prontas e você tem que correr para executar e já ganhar mercado e outras vão mudar muito no processo aqui. Vai sair de um site de personalização disso, para uma plataforma de e-commerce B2B totalmente diferente e isso acontece principalmente por causa de uma aceleradora, de um processo desse de mentoria, de acompanhamento. Essas ideias não surgem do nada.

Algumas das empresas apresentaram negócios que já existem no mercado. Tem espaço para todo mundo?

Acho que sim, porque ter um negócio parecido no mercado, ter um concorrente, é só mais um sinal de que a sua ideia é boa. O que faz a diferença é a capacidade de execução. Já existe alguém que faz o que a Motonow faz, agendamento de corridas via celular e aplicativo? Existe. Agora vai checar se eles fizeram o planejamento que a Motonow fez, avaliaram com o Sindicato as possibilidades, com os motoboys o que eles preferiam, qual era o tipo de comissão e de pagamento que era enxergado justo pela categoria, como funcionaria melhor para quem contrata e afins. Eles provavelmente têm uma capacidade de execução de entrega e aprimoramento melhor. Então todas elas aqui tem um diferencial nisso. Existem plataformas de e-learning [Profes] e existem plataforma para avaliar o clima das empresas [Love Mondays]? Existem, mas a capacidade de execução e o quanto elas estão enxergando tudo em volta é o que faz a diferença. Aqui a gente tem isso.

Esses cem mentores: um de finanças, um jurídico, um de analitics, um de mídia etc. faz a cabeça das pessoas explodirem e eles acabam virando super-heróis em três meses. Essa é a diferença. A Aceleratech é parecida com Y Combinator e outras plataformas em outros países e isso é que faz a diferença deles. Porque você coloca pessoas com muito potencial, num ecossistema que vai ensinar muito e trocar muita experiência, não só entre os mentores, mas entre as equipes também e depois de três meses eles evoluem muito.

E por que que a mentoria é importante nesse processo?

Porque as pessoas que têm experiência acabam ajudando a te guiar um pouquinho mais. As empresas que surgem hoje no mercado de startups surgem com duas ou três pessoas e isso é um processo que forma uma fortaleza. Mas eles não têm experiência jurídica. Algumas nem têm experiência técnica. Então quando você faz a mentoria você complementa e viram grupos muito mais estruturados e fortes para o que der e vier. Cem mentores não são escolhas ao acaso. A diversidade de áreas dos mentores que faz eles ficarem tão fortes. Algumas startups como a Timobox, por exemplo, tinham uma ideia muito boa, uma execução técnica pronta, mas faltava uns direcionamentos. Se não fosse a mentoria, eu não sei se a ideia deles tinha ido pro ar, então essa mentoria foi necessária para eles re-arranjarem e acharem outras oportunidades e outros jeitos de executar isso e deslanchar.

E em paralelo eles [Aceleratech] fizeram o Co-Founders Lab de maneira a integrar match-making para encontrar empreendedores porque algumas ideias vêm prontas, mas sem execução, algumas ideias vêm com um cara que vai executar, mas ele não sabe como vender e aí as equipes ficaram muito completas depois que eles fizeram esse match-making e complementaram perfis. A mentoria é importante pra trocar experiencia e fortalecer o grupo.