Neste nosso meio de startups, sempre aparecem novas teorias, nomenclaturas diferentes, altos modismos e etc. Um deles é o Business Model Canvas. Toda startup quer ter um canvas e parece que o velho e bom plano de negócio caiu em desuso. Legal, mas a pergunta é: qual é a diferença entre os dois? Um substitui o outro? O que é afinal o modelo de negócio? (Boas perguntas, hein?!)

Acho que para a gente falar da ferramenta Canvas, temos que saber primeiro o que é um modelo de negócio, afinal de contas, é para isso que a ferramenta foi criada. Um modelo de negócio é como uma empresa cria, entrega e captura valor. Simples assim. Criar valor é criar algo que resolva o problema ou necessidade de alguém. A parte da entrega do valor é normalmente o produto ou solução criado pela startup. E a captura é a parte mais bonita: o que e como a startup (ou empresa, ou empreendimento, ou projeto, ou Governo) captura de volta do mercado – sejam informações do usuário, grana, melhorias na qualidade de vida, etc.

O Canvas é, portanto, uma ferramenta criada pelo suíço Alex Osterwalder para ajudar as pessoas a encontrarem (ou alterarem, pivotarem) os seus modelos de negócio. Segundo ele, no seu projeto de doutorado, muitas empresas quebravam por não pensarem (ou testarem) o seu modelo de negócio e a conclusão dele é que as pessoas simplesmente não o faziam, porque não havia alguma ferramenta boa o suficiente para isso. O seu projeto final teve como resultado o livro Business Model Generation, que revolucionou a forma como todas as empresas abordam seus modelos de negócio.

Dica: o Sebrae fornece gratuitamente um aplicativo de modelo de negócio para ser usado no iPad (imagem abaixo), e você deve encontrar outros pela Internet, em português ou inglês, mas não precisa de um aplicativo, basta imprimir uma imagem com os quadros desenhados.

O Plano de Negócio, por outro lado, aquele em que se faz projeções financeiras, planos, metas, detalhamento de atividades de marketing, vendas, etc, é uma ferramenta super antiga e bastante usada por empresas e corporações. Elas ajudam a guiar toda a empresa numa mesma direção, num mesmo objetivo. O plano consegue ligar a estratégia de marketing com a produção (que tem que produzir o que o marketing espera vender), recursos humanos com vendas (que tem que contratar uma quantidade X de funcionários para produzir e vender o esperado) e assim vai.

E aí? Já conseguiu ver a diferença clara entre as duas ferramentas? (Ok, vamos dar uma colher de chá). O Canvas que te ajuda a encontrar o modelo de negócio está focado em quem é a empresa e a que valores ela vai criar. Ele trabalha a essência do negócio e não um planejamento. O Plano de negócio, por sua vez, é um mapa de um caminho para onde o projeto em questão quer ir. Ele diz que a empresa quer sair do papel para o lançamento em 3 capitais e para isso vai fazer as atividades X, gastando Y, e esperando o retorno de W. É um plano.

O perigo do uso indiscriminado de planos de negócio (especialmente para negócios inovadores) é o grupo sair criando planos logo no início sem nem conhecerem ao certo, quem são – quais valores criam, como entregam e o que vão capturar. As ferramentas são diferentes e quase que complementares. O Canvas permite ao empreendedor conhecer a essência do seu projeto para, aí sim, criar um bom plano de como fazê-lo ter sucesso.

E aí: você sabe dizer como tem criado, entregado e capturado valor?