Acordo selado, dados lançados: Wilson Caldeira, diretor da Fumsoft e vice-presidente da Assespro- MG, informou que uma turma piloto com 20 empresas será formada em abril de 2014, a fim de serem capacitadas pelo programa de empreendedorismo e inovação da Universidade de Stanford. Noticiamos o acontecimento na semana passada, quando professores de lá e executivos do Vale do Silício estiveram por aqui.

As empresas serão definidas em dezembro. Não estão delineados os critérios de escolha das participantes – a única coisa que eu soube é que a escolha deverá envolver empresas com altíssimo potencial (e acredito que isso independa do tamanho).

“A expectativa é a participação de duas pessoas por empreendimento. Elas ficarão durante uma semana em Stanford para iniciar o processo de empreendedorismo. Após essa semana, os participantes retornaram ao Brasil e serão monitorados à distância neste projeto iniciado nos Estados Unidos. Depois de três semanas, alguns professores ficarão no Brasil para acompanhar a finalização do projeto”, declarou  Caldeira em comunicado.

Com isso, Minas Gerais abre as portas brasileiras – e da América do Sul – para a iniciativa, ainda inédita nessas bandas. O programa oferecido pela universidade é considerado um dos melhores cursos do mundo na área de inovação e tecnologia, já é realizado em países desenvolvidos, e, agora, tem como foco promover em países do bloco BRICS.

Ainda de acordo com o comunicado, o Estado foi selecionado para firmar essa parceria em virtude do atual cenário. “Atualmente, Minas possui mais de 5 mil empresas ligadas ao setor de TI, 33 mil profissionais e fatura cerca de R$ 2 bilhões por ano e a perspectiva é de crescimento de mais de 5% até 2022.”