O evento que noticiamos em agosto foi adiado, mas foi remarcado e acontece agora: entre hoje e amanhã, professores da Universidade de Stanford e executivos do Vale do Silício vêm a Belo Horizonte com o intuito de estabelecer uma parceria que possa contribuir para a capacitação de empresas nas áreas de inovação e empreendedorismo para o setor de TI.

O programa, oferecido pela universidade americana, considerado um dos melhores cursos do mundo, já é realizado com sucesso em países desenvolvidos, como a França, por exemplo, e, agora, o alvo é promover em países do bloco BRIC.

Uma vez concluídas as negociações, Minas Gerais será a porta de entrada para o Brasil e também para a América do Sul – onde esse programa é inédito.

O Estado possui mais de 5 mil empresas ligadas ao setor de TI, 33 mil profissionais e fatura cerca de R$ 2 bilhões por ano e a perspectiva é de crescimento de mais de 5% até 2022. A negociação entre a Universidade de Stanford e o MGTI foi iniciada por intermédio do diretor da Fumsoft e Vice-Presidente da Assespro- MG, Wilson Caldeira.

Durante o encontro, os representantes de Stanford terão a oportunidade de conhecer de perto o MGTI, que reúne o setor produtivo de TI em Minas Gerais, representado pela ASSESPRO, FUMSOFT, SINDINFOR e SUCESU, e os governos do Estado e de Belo Horizonte, que tem como objetivo colocar o setor de tecnologia da informação mineiro em posição de destaque no cenário nacional em até dez anos.

Mais iniciativas de MG: