Está claro que Minas Gerais quer se posicionar como um polo das startups com ideias inovadoras. Depois do edital Tecnova (que é lançado em parceria com o Governo Federal com os Estados e ainda está aberto, diga-se), agora é a vez dos projetos serem inscritos no SEED – Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development, programa do governo de Minas, conduzido pelo Escritório de Prioridades Estratégicas.

A proposta de aceleração é realmente muito atraente: além de capital semente de R$ 68.000,00 (US$ 30,000.00) para projetos com dois participantes ou R$ 80.000,00 (US$ 35,000.00) para projetos com três participantes, o SEED oferece mentoria sob medida com expoentes da cena de startups, formação empreendedora, espaço inspirador de coworking, conexão com uma comunidade global de empreendedores e, pasmem, nenhuma participação em seu negócio será exigida. Tudo para fazer da sua startup “the next big thing”.

Se você curtiu, saiba que a meta é clara: “o SEED-MG tem o objetivo de transformar o estado de Minas Gerais no principal polo de empreendedorismo tecnológico da América Latina, e reservou para os empreendedores o papel principal neste desafio. O programa enxerga o empreendedor como o mais importante agente desta transformação, e oferece todos os benefícios citados acima apenas para que os participantes do programa compartilhem seu conhecimento com a comunidade através de workshops, cursos, e oficinas, criando um ambiente inspirador que impulsiona grandes ideias, gera negócios inovadores e startups bem sucedidas”, segundo eles me atualizaram.

O SEED recebe inscrições para seleção de até 40 projetos, entre os dias 27 de setembro e 16 de outubro, no site www.seed.mg.gov.br. Cabe diferenciar: enquanto o edital Tecnova vai contemplar apenas as startups mineiras, este aqui é aberto para “pessoas de qualquer parte do mundo, com ideias inovadoras de negócio, mas sem capital para desenvolver seus projetos”.

Em comunicado, o pessoal do SEED avisa que o incentivo inclui as despesas de residência em Belo Horizonte. “As startups contarão com escritório compartilhado, programa de formação empreendedora e de aceleração de negócios, cuja execução está a cargo da Wylinka, ONG selecionada, em agosto, por meio de edital público”, diz o documento.

André Barrence, presidente do Escritório de Prioridades Estratégicas, afirmou no texto oficial que a expectativa do SEED é “atrair pessoas que tenham aquele brilho nos olhos, que sempre pensaram em transformar uma boa ideia em realidade, e que não necessariamente tenham experiência como empresários. Vamos criar uma cultura de empreendedorismo que valorize quem quer inovar, correr riscos e tenha uma grande dose de ousadia”.

O SEED tem o objetivo de transformar o estado de Minas Gerais no principal polo de empreendedorismo tecnológico da América Latina, e reservou para os empreendedores o papel principal neste desafio. O programa enxerga o empreendedor como o mais importante agente desta transformação, e oferece todos os benefícios citados acima apenas para que os participantes do programa compartilhem seu conhecimento com a comunidade através de workshops, cursos, e oficinas, criando um ambiente inspirador que impulsiona grandes ideias, gera negócios inovadores e startups bem sucedidas.