O pessoal da Sappos lançou a sua plataforma esses dias e bateu um papo por e-mail comigo a fim de contar os principais fundamentos do produto.

Eles nos disseram coisas muito legais sobre esse conceito de ser um app de TV social – como o fato de, daqui a poucas semanas, o usuário poder adquirir o look arrasador do personagem principal da novela.

Veja o que conversamos logo abaixo.

Vamos falar um pouco sobre o produto? Como funciona, é feito e difundido? Já rola mensurar usuários?

A Sappos, desenvolvedora do primeiro aplicativo de TV Social no Brasil, chega ao mercado para incentivar e facilitar a interação entre os telespectadores sobre tudo o que é transmitido na televisão, conectando pessoas e criando a sala de estar do século 21. O uso do aplicativo permite que o usuário interaja com amigos sobre o que estão assistindo, acesse conteúdos específicos sobre um programa ou filme, classifique seus programas favoritos e visualize a grade completa de programação.

Em poucas semanas o aplicativo permitirá que o usuário adquira produtos relacionados à programas e filmes (ex: look do personagem principal da novela ou seriado que o usuário está assistindo).

O aplicativo da Sappos foi lançado há uma semana para iOS, e neste período já foi baixado na Apple Store por mais de 2 mil pessoas. Nesta semana acontece o lançamento da versão para Android, disponível na loja Google Play.

Vocês já tiveram investidor? Nesse sentido, têm algo em vista?

Recebemos uma primeira rodada de aporte vinda de seis investidores com experiência no mercado de tecnologia. O aporte da rodada anjo foi robusto, e muito próximo ao padrão de aporte de series A round.  Entretanto, não é política da empresa divulgar o valor investido.

Quem são os fundadores da startup e quais as respectivas funções?

Somos cinco cofundadores da plataforma. Thiago Navarro Amorim: Formado pela Universidade de São Paulo (USP) e pela Aalborg University. Mestre em Administração pela USP, já atuou como Diretor de Novos Negócios do Groupon Brasil e Strategy na McKinsey & Co.

Raphael Lejeune: Formado pela Pontíficia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro, também foi Analista de Negócios da BTG Pactual e Diretor de Planejamento do Groupon Brasil.

Alex Takayama: Formado em Computação pela Universidade Cruzeiro do Sul e com MBA pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), já atuou como Gerente de Projetos daTOTVS e CTO do Groupon Brasil.

Gutemberg Fragoso: Graduado pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), anteriormente atuou como Consultor de Finanças Corporativas na McKinsey & Co e CFO no Groupon Brasil.

Felix Scheuffele. Cofundador do Groupon Brasil, atuou como BusinessDevelopment na Zalando. É formado pela Universidade Técnica de Berlim.

A startup está em funcionamento?

Sim, estamos trabalhando no aplicativo desde março.  O Sappos foi oficialmente lançado em setembro deste ano.

A empresa hoje conta com 16 colaboradores, concentrando as contratações em pessoas extremamente sêniors na área de tecnologia.

Desde quando vocês vêm trabalhando na ideia?

A ideia surgiu em novembro de 2012, poucos meses depois de concluirmos a abertura de capital do Groupon. A segunda tela (second screen) ganhou força no mundo, mas observamos que faltava um players dedicado a conteúdo nacional.

Brasileiro ama rede social e ama TV, e é forte apreciador do conteúdo nacional. A maior parte da audiência se concentra em poucos programas, assim, existe uma grande chance de uma pessoa estar assistindo o mesmo programa que os amigos ao mesmo tempo. Esses fatores maximiza o potencial da TV Social no Brasil.

No que a sua startup torna essa tarefa mais prática, mais barata ou mais abrangente?

O brasileiro é naturalmente engajado em redes sociais e adora discutir sobre assuntos em comum. O aplicativo, além de ser gratuito, permite que as pessoas tenham um lugar único para discutir sobre seus programas favoritos com pessoas que curtem o mesmo assunto. O usuário pode dar check-in no que está assistindo, compartilhar no Facebook e Twitter, opinar, avaliar programas e filmes na televisão. A proposta é de interagir com os amigos como se estivessem numa sala de estar.

Qual a vantagem para que as pessoas comprem/usem Sappos e não com outros?

As plataformas hoje disponíveis no mercado não são dedicadas para TV social. Em outras palavras, o produto não é desenvolvido com esta finalidade específica.

Exploraremos as lacunas existem nestas plataformas, incluindo acesso a conteúdo exclusivo sobre o programas e filmes. Também permitiremos, por meio de parcerias já firmadas com e-commerces, em que o usuário vai adquirir produtos relacionados a programação (ex: sabemos que o usuário está assistindo a novela “x”. Podemos enviar push notifications com produtos similares aos utilizados pelo personagem central).