No final de fevereiro, contei para vocês da Dagood, uma nova plataforma que estava despontando no setor de recomendação de lugares. Agora, meses depois, os fundadores da startup estão anunciando uma mudança grande na estratégia do negócio da empresa. “No princípio, nosso modelo de negócios era baseado em venda de publicidade para bares, restaurantes e baladas, mas depois de conversarmos com diversos estabelecimentos, observamos que esse não é um modelo interessante para pequenos negócios”, explica Felipe Salgueiro, um dos fundadores.

O contato direto com o mercado fez com que eles encontrassem um problema mais próximo da realidade dos bares e restaurantes.  “Um problema comum a todos é a dificuldade de atrair clientes, que não está sendo sanada de maneira satisfatória pelas ferramentas online atuais”, conta o sócio. Felipe explica que os donos desses lugares enxergam as compras coletivas como vilões “já que os estabelecimentos perdem dinheiro e têm um baixo índice de retorno de clientes, pois eles ficam pulando de desconto em desconto”.

Com essas novas informações, a equipe da Dagood avaliou também o comportamento dos consumidores. “Percebemos que eles não gostam de ter que levar cupons ou ter uma data específica para poder usá-los, além de já estarem cansados de ficar presos às promoções disponíveis”, afirma Felipe. Ele também diz que os programas de fidelidade atuais trazem problemas para quem quer ser recompensado, já que existe muita demora.

Tentando resolver esse imbróglio fora criadas as Missões DaGood. “Elas são objetivos que os usuários cumprem dentro de nossos estabelecimentos parceiros a fim de ganharem prêmios, vantagens e outros benefícios”, conta o sócio. Segundo Felipe, a missão surgiu para reduzir as fraquezas das compras coletivas e dos programas de fidelidade. “Nesse modelo, os usuários pagam um valor de R$10 para reservar as missões que cumprirão no local, sendo esse valor estornado ao usuário em forma de desconto na conta final”, explica.

Mais sobre a Dagood no Startupi: