O ministério dos Direitos Humanos divulgou ontem sua nova ferramenta contra a exploração sexual de crianças e outras violações contra os direitos humanos: o aplicativo Proteja Brasil. O que pouco sabem é que tem uma startup envolvida no assunto: a Ilhasoft, com representantes em Maceió e no Rio de Janeiro.

Anteriormente, a Ilhasoft tinha ficado conhecida por desenvolver o Find People, um aplicativo para ajudar a encontrar pessoas desaparecidas. E esse trabalho foi o passe de entrada para eles no Proteja Brasil. “Fomos apresentar o Find People para a Unicef, em busca de apoio institucional e eles gostaram bastante. Tiveram umas conversas e ficou estabelecido que o projeto seria levado para a secretaria de direitos humanos”, explica o sócio Johnny Hederson, com quem conversei ontem a noite.

973349_372732196166534_2061788229_n

Segundo Johnny, a secretaria de direitos humanos abraçou o projeto e sugeriu que eles desenvolvessem o Proteja Brasil, “que era um sonho do governo”.  O Proteja tem como base as mesmas tecnologias do Find People. “Em breve, o Proteja também terá uma aba de desaparecidos. Só não tem ainda porque ainda estamos integrando a base do Find People com o Cadastro Nacional de pessoas desaparecidas.”

O Proteja Brasil é um aplicativo (para Android e iOS) que será usado em fase de testes nas cidades-sede da Copa das Confederações. O serviço traz telefones e endereços de delegacias e conselhos tutelares onde denúncias podem ser feitas. Também são explicadas quais são as violações dos direitos humanos, especialmente o das crianças.

Foto: Melissa Toledo