Quem quer ajudar e fazer doações para ONGs ainda sofre com a burocracia brasileira, segundo os empreendedores Felipe Hlibco e Ruy Fortini. Eles afirmam que são poucas as organizações que recebem doações pela internet de forma segura e integrada e o procedimento de doação, em si, traz complicações para as organizações. “Existe uma grande barreira tecnológica para conseguir implementar uma integração com meios de pagamento e realizar essa gestão financeira”, conta Ruy. Com esse problema em vista, os dois afirmam ter visto uma oportunidade de negócio e foi assim que surgiu a Doare, uma rede de contribuição online para o terceiro setor.

“Utilizando a Doare, as organizações do Terceiro Setor podem receber doações online e recorrentes sem nenhum trabalho de implementação, basta criar uma conta e preencher o perfil com conteúdo. Além de facilitar o recebimento de doações, também são disponibilizadas ferramentas para divulgar o novo canal e transparecer a utilização dos recursos com os apoiadores”, diz comunicado divulgado pela startup. Pela plataforma, os doadores também podem encontrar as causas de seu interesse e agendar doações.

Lançada em janeiro de 2013, a Doare foi criada com aporte de R$ 30 mil da Rio Ventures e, atualmente, conta com cinco membros da equipe e dois conselheiros. Antes disso, houve um período de seis meses de desenvolvimento.

A empresa diz que, durante o mês de maio, chegou a 30 organizações atendidas pela plataforma e já arrecadou R$ 10 mil para as participantes.

Foto: Equipe da Doare/Divulgação