Foto: Quepasaboy/Flickr

Uma discussão que sempre ouço sobre o mercado de investimentos é: “se há tanto capital disponível, por que tão poucos empreendedores conseguem investimento?” As estatísticas internacionais indicam que os investidores aplicam seu capital em apenas 1 de cada 100 projetos avaliados e que o empreendedor precisa apresentar seu projeto para 25 investidores para conseguir investimento, o que em  um cruzamento teórico ideal (ex.: 100 empreendedores apresentando para 25 investidores) deveria resultar em uma média de 25% de índice de sucesso na captação, mas na realidade os números são bem menores, pois muitos empreendedores nunca chegam a apresentar seu projeto para tantos investidores, assim, o índice real deve variar entre 1% a 5%.

Não é muito difícil avaliar o por quê disto para vermos que pode ser feito para melhorar estes índices, não só para os empreendedores, mas também para os investidores, pois é um processo que consome muito tempo e recursos de ambos. Pela minha experiência como empreendedor por 25 anos, que recebeu investimento e hoje atuando como investidor anjo em startups e advisor de empresas, entendo um pouco do que se passa em cada lado.

 Um dos problemas mais recorrentes que prejudicam a captação é que muitos empreendedores confundem o fato de serem apaixonados pelo seu negócio com ficarem “cegos” para a realidade a sua volta. O empreendedor deve sim ter paixão pelo que faz e acreditar piamente que será bem sucedido, mas deve ao mesmo tempo ter a humildade de, por mais bem preparado e experiente que possa ser, estar ciente de que não tem como garantir seu sucesso, assim deve sempre coletar feedbacks das suas apresentações, seja para investidores ou especialmente de potenciais clientes. Por mais que o empreendedor tenha convicção, é importante também demonstrar que sabe os seus riscos, não subestimando os desafios que irá enfrentar. 

Também cabe observar que os investidores muitas vezes podem parecer um pouco prepotentes pelo seu poder de decidir em quem investir ou não, como se tivessem uma bola de cristal sobre quem irá ser bem sucedido ou não, mas a verdade é bem diferente, pois por mais experiência que tenham no máximo entre 10% a 20% nos negócios que investirem serão bem sucedidos. Mesmo utilizando todo seu conhecimento, sabemos que a maior parte dos seus investimentos não irá dar certo, por isto precisam ser tão seletivos.

Minha recomendação para os empreendedores é perguntar o máximo que puder para o investidor: qual sua opinião sobre o mercado em que irá atuar; o que ele sugeriria para que o negócio tivesse mais chances de dar certo; e até indicações de potenciais parceiros, colaboradores, etc. Claro que também deve buscar ouvir atentamente, mesmo que ache que a opinião daquele investidor esteja errada, pois neste caso será um bom indicativo que este não é o investidor certo para o seu negócio. Sei que muitos vão achar que basta fingir que estão ouvindo para conquistar o investidor, mas se for o caso será como um “casamento por interesse”: estará fadado ao fracasso, pois isto irá aparecer logo depois do aporte nos conflitos entre ambos. Concluindo: humildade, trabalho duro e transparência mútua são ingredientes essenciais para o sucesso.